"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Será Que Ninguém Viu Isto?

- por René Burkhardt | 08 de Setembro de 2010

Ontem à noite, em oração, algumas palavras de Jesus tocaram fundo em mim. Certamente, porque o Senhor tem falado sobre o assunto comigo, há alguns meses. Ele disse: “Não o proíbam; porque não há ninguém que faça milagre em meu nome e, logo a seguir, possa falar mal de mim” (Mc 9.39).

João havia dito ao Mestre, que um determinado homem expelia demônios em nome de Jesus. Mas, por esse homem não andar junto com eles, os discípulos simplesmente o proibiram de continuar fazendo aquilo. E, depois de dizer para eles não proibirem tal coisa, Jesus ainda indicou que só há duas possibilidades, em relação a Ele: “Quem não é contra nós, é por nós!” (v. 40). Ou seja, quem não age contra Cristo, age a favor dEle. Não existe meio-termo! Ou a pessoa vive o seu dia-a-dia em nome de Jesus, como Seu representante (embaixador), ou vive por seu próprio nome, afastada do Deus Pai e Criador e, o que é pior, contra Ele.

Entendi que o Senhor estava me falando, como em tantas outras vezes, a respeito da unidade que deve haver em torno do Seu Nome. Seus discípulos, ali, agiram como se fossem pessoas especiais, por participarem do único grupo de pessoas escolhidas por Deus, para serem representantes de Seu Nome, aqui na terra. E foram envergonhados por isto! A atitude que tomaram, por conta da visão que tinham, foi reprovada pelo Senhor! Em outras palavras, o Senhor estava dizendo a eles: “É certo que escolhi vocês individualmente, para andarem comigo. Porém, há outras pessoas que reconhecem o Meu senhorio e optam por Me servir. E o Pai as traz para Mim! Vocês podem confirmar isto pelo Seu poder que foi manifestado através desse homem. Aquele homem, que vocês discriminaram, demonstrou sua fé em Mim, ao agir em Meu Nome e ao imitar Minhas atitudes. Ele não agia para sua própria glória, mas para a Minha!”.

E foi isso que encheu meu coração de temor, que me consternou profundamente. Olhei para trás, para meus passos, e fiquei estarrecido com a quantidade de vezes que agi exatamente da mesma forma que os discípulos agiram naquela ocasião, e quantas vezes agi de maneira ainda pior que eles. Pior do que isto: olhei em volta, para a Igreja, e me enxerguei em quase todas as pessoas que se professam membros do Corpo de Cristo.

Quantas vezes ouvi de Seus membros: “A Igreja é um corpo em movimento!”. E é verdade. Mas o movimento que se vê é de autodestruição. O movimento que se vê é de membros digladiando-se entre si. Um aponta para o outro e diz que o seu grupo é o único correto e que, por isto, o outro não é cristão e não tem o direito de dizer que está servindo ao Seu Senhor. Mais do que isto, um “proíbe” o outro de agir em nome de Jesus! Todos sabem que são membros do Corpo, mas cada um se considera a cabeça do corpo, nunca um membro inferior. Podem até afirmar o contrário com seus lábios, mas é isto que mostram com suas atitudes! E, como cabeça desmiolada, olham para os membros e dizem que eles não são membros.

Uns dizem que a salvação é pela eleição soberana e incondicional de Deus. Outros dizem que é pela eleição presciente, soberana e condicional. Uns dizem que os mil anos de reinado de Cristo na terra é espiritual e já está ocorrendo, enquanto outros dizem que ele será literal e ainda vai ocorrer. Uns dizem que o dízimo ainda é uma obrigação da Igreja, enquanto outros dizem que não é mais. Uns acham que o Espírito Santo não Se manifesta mais com o poder que Se manifestava no princípio da Igreja, ao passo que outros acham que Ele ainda Se manifesta assim. E milhares de outros motivos ridículos! E cada um quer proibir o outro de dizer que está agindo em nome de Jesus!

Paulo já havia dito que não importa se um acha que pode comer e o outro acha que não pode. Não importa se um acha que tem que separar dias especiais e outro acha que não. Porque o que importa, realmente, é se cada um crê que Jesus Cristo é o Senhor e passa a seguir Seus passos, a imitá-lO, em transformação constante de vida, para a honra e glória do Senhor, não para satisfazer a sua própria soberba. Estes, sim, é que estão separados de Cristo e são contra Ele! “Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé” (Hb 2.4).

Até quando ficaremos demonizando o servo alheio, julgando-o, desprezando-o, como se ele não fosse servo de Jesus, do Deus Altíssimo? Até quando vamos permitir que a nossa soberba reine em nossa vida, ao invés de Jesus? Por que não vemos que é conosco que o Senhor está falando, quando diz que vai chamar todos os “indignos” para a Sua ceia, no lugar daqueles que Ele havia convidado anteriormente? Quando lemos, ou ouvimos, essa passagem de Lucas 14, sempre pensamos, conosco mesmos, que Ele está falando dos outros crentes, nunca de nós mesmos! Mas é conosco que Ele está falando, porque nós estamos nos ocupando com idéias de homens, em vez de aceitarmos o Seu convite e irmos em Sua direção! Morremos defendendo preceitos humanos, mas não aceitamos nem um desmaio em nome de Jesus! Dizemos que estamos fazendo a Sua vontade, mas nos enchemos de ódio se alguém não pensa como nós!

Tudo isso é viver uma mentira! Tudo isso exclui de nossas vidas o amor com que fomos amados por Jesus! Nós dizemos que aceitamos e recebemos esse amor, mas não o repassamos adiante. Nunca! Achamos que isso é exclusividade nossa. Os outros que se virem para recebê-lo. Basta que ajam e pensem como nós, que, então, eles também serão merecedores desse amor. Mas desde quando fomos merecedores de alguma coisa vinda de Deus? Nenhum de nós é merecedor de nada, a não ser de condenação eterna. E, agora que a graça nos alcançou, vamos continuar dando motivos para essa condenação, rejeitando a Jesus? Claro que não! Eu duvido que algum cristão professo responda sim a essa pergunta, conscientemente. Mas é o sim que nós estamos dizendo, ao nos rotularmos com nomes de homem e ao rotularmos aos outros também! Ao discriminarmos quem quer que seja, que pense diferente de nós!

Jesus disse para nos amarmos uns aos outros. O Espírito de Cristo disse que o amor é o vínculo da perfeição e que devemos fazer o bem a todos, ESPECIALMENTE aos da família da fé. Ele não diz aos da família dos batistas, ou presbiterianos, ou assembleianos, ou católicos, ou wesleyanos, ou calvinistas, ou arminianos, ou agostinianos, ou pelagianos, ou de Paulo, ou de Apolo, ou de Cefas, ou de outro nome qualquer. É aos da família da fé em Cristo Jesus. Aqueles que crêem que Jesus Cristo, homem, é o único Deus e o único Mediador entre Deus e os homens. Aqueles que crêem que Ele morreu pelos pecados de todos e que foi ressuscitado por Deus, para que todos os que nEle crerem, sejam salvos. Aqueles que crêem que esse Jesus voltará para reunir definitivamente a Ele, todos os que nEle creram. Essa é a família da fé, que Deus considera. Essa é a família que será aperfeiçoada até se encontrar definitivamente com Ele.

Assim diz o Senhor: "Hoje, se vocês ouvirem a minha voz, não endureçam o coração”. A voz do Senhor nos chama ao amor, e amar também é ceder. Não precisamos concordar com preceitos teológicos de ninguém, mas precisamos amar a todos e reconhecer que o erro que vemos nos outros pode estar, na verdade, em nós! Se não tivermos humildade para isto, é porque ainda não morremos com Cristo e caminhamos para a morte eterna. Ouçamos a Sua voz! Sejamos Um com Jesus, assim como Ele é Um com o Pai!

11 comentários:

disse...

Lindo seu texto René, como todos os outros seus. não imporat se um irmão come legumes para Deus e outro não come, o que importa é que seja para glória de Deus. Realmente Deus nos chama a perdoar uns aos outros, amar uns aos outros, andando como Cristo. Como diz um amigo meu muito querido que amo demais, o Ricardo: Andando debaixo dos 40 graus da vida amando uns aos outros, se perdoando. Maravilhosa sua compreensão neste texto. Paz!

Pelo vinculo do calvário!

Wilson disse...

Caro René, louvo ao Senhor por tão sublime sinceridade. Quero dizer com a mesma sinceridade, que agora realmente sinto-me um igual em relação a voce. Deus sabe do que estou falando e voce também.
Somos atraídos elas diferenças e então nos tornamos iguais na diversidade, somos um só corpo, Cristo é nossa cabeça.
Essa mensagem com certeza provocará os exclusivistas da verdade.
Somos do Senhor.

René disse...

Minha querida Rô,

No nosso caso, daqueles que se dispõem a seguir as pegadas de Jesus, eu aumentaria um pouco a temperatura na frase do seu amigo muito amado, o Ricardo: eu diria debaixo dos 60 graus, como de um deserto, amando e perdoando aos outros.

Bj e Paz!

René disse...

Amado Wilson,

Com toda a certeza, sei do que você está falando. Me alegro muito por você ter compreendido e recebido esta mensagem. Entendo que ela seja um passo fundamental para que andemos verdadeiramente em obediência ao Senhor.

Grande abraço e Paz!

disse...

Com certeza René. bjss

Rita disse...

A Paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo irmão René!
Deus realmente é amor, e, jesus nos deixou o mais belo mandamento...amai-vos uns aos outros,como eu vos amei.
De fato amado irmão temos muitas vezes estado em condição de acusadores e porque não dizer donos da verdade,como se pudéssemos...(que hipocrisia)só a misericórdia de Deus mesmo para nos livrar de nós mesmos.
A verdade é que temos que odiar o pecado,não os pecadores,pois, estamos todos no mundo,na mesma plantação,não somos especiais por sermos cristãos,justamente nessa posição é que devemos nos humilhar,somos os galhos enxertados,se Deus quebrou as varas originais,o que fará conosco se não formos dignos da videira verdadeira...?
A função do sal não é de salgar,tão pouco adoçar,mas é necessário que a medida seja dia a dia equilibrada,caso contrário corremos o risco de ser exatamente o que odiamos,(como aqueles que tentamos dizer não ser de Cristo)quando Jesus disse quem não é contra nós é por nós,eu imagino que ele quis dizer: deixe-os agir,quem faz a obra não são eles ou vocês é meu Pai,em meu nome virão ao Pai,e,eu vos aperfeiçoarei...E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.1Pedro 5:10
Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Efésios 4:13
Vamos nos lembrar sempre de odiar o pecado, nunca o pecador,pois, é necessário que haja heresia para que os sinceros se manifestem 1Co11:19
Se formos infiéis,ele permanece fiel...
Acho que precisamos de espelho as vezes,porque a imagem refletida na nossa vida de vez em quando não se parece com a de Deus,que é amor e misericórdia, se o plano de Deus é nos moldar como barro nas mãos do oleiro,temos que lembrar que estamos em construção,cada um num estágio diferente...numa mesma casa há vasos de honra,outros de desonra...mas nós que não estamos prontos ainda temos de ser apenas servos e nada mais.

E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?Mateus3:7
Aqui vemos que muitos virão em nome do Senhor Jesus,mas ele disse:nem todo aquele diz, Senhor Senhor entrará no reino dos céus....
A nós não cabe o julgamento,mas o amor,porque se julgássemos a nós mesmos não seríamos julgados.
Deus o abençoe e aos seus no amor de Cristo!
Graça e paz!

René disse...

Amada Rita,

Mais uma vez, você complementa meu texto com maestria. Isso é uma honra para mim e me deixa feliz, por perceber o Espírito Santo agindo em diversas pessoas, para a nossa edificação.

Você usou uma palavra que considerei como chave: "espelho". É o tal do "examinem-se". Faz toda a diferença.

Grande abraço e que a Paz do Senhor continue com você e sua família!

Cláudio Nunes Horácio disse...

É René, não dá pra entender qual é a dificuldade para obedecer algo tão simples. O Caio trata deste assunto nomeando de "A igreja de conosco" nos vídeos do caminho do discípulo, se não me engano nº 27. Excelente texto. Abração

René disse...

Pois é, Cláudio,

Acho que a dificuldade está em termos que morrer, cada vez que praticamos aquilo que Jesus praticou. Afinal, somos levados a nos conformarmos com Ele, na Sua morte. Mas todo ser vivo se debate, antes de morrer, tentando manter sua própria vida. É mais ou menos por aí...

Não vi o vídeo do Caio, mas imagino que outros também estejam sendo levados a levantar essa questão, porque ela é básica para se viver o Reino, o Evangelho.

Outro abraço e Paz!

Alan Capriles disse...

Excelente texto!!! Mais do que importante, indispensável, tendo em vista tantas divisões e guerrinhas no meio evangélico.

Gostaria de sua autorização para divulgá-lo no site da nossa igreja, na sessão "artigos". Com seu nome e link, é claro.

Um forte abraço, René!

Deus lhe abençoe cada dia mais!

P.s.: Coloquei seu banner em meu blog. Agradeço também por sua divulgação.

René disse...

Meu amado Alan,

Me alegro que você tenha gostado. Sinal de que o Espírito Santo falou ao seu coração, entregando o que Ele quis entregar.

Aqui você não precisa de autorização, nem mesmo de incluir créditos. Se você acha que algum texto pode ajudar na edificação de alguém, é só usá-lo. A Palavra não é minha, é do Senhor!

Continue na Paz do Senhor, meu irmão!