"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O Peso da Minha Cruz


- por René Burkhardt 26 de Junho de 2009

Busco. Há muito tempo tenho buscado maior intimidade com o Senhor Jesus. Quantas vezes já perguntei: “Senhor, que farei para herdar a vida eterna?”. Quantas vezes lutei contra meus pecados, pensando em atingir tal santidade que permitisse ao Senhor ter comunhão comigo! Quantas vezes clamei ao Senhor, para que Ele resolvesse meus problemas, a fim de que eu tivesse condições de fazer a Sua vontade!
Quantas vezes condenei o meu próximo por errar, onde eu estava acertando, ao mesmo tempo em que me escusava por errar, onde ele estava acertando! Quantas vezes o julguei, por não ser como eu! Quantas vezes o desprezei, por não ser como eu! Quantas vezes, quantas vezes...

Como é difícil entender a verdade da Palavra do Senhor, que diz: “porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida...” (Mt 7.14 – grifo meu). Mas, graças a Deus, o Espírito Santo nos ensina todas as coisas. E, com o passar do tempo, com a evolução dos acontecimentos, Ele nos mostra que o caminho é apertado para aqueles que não seguem à risca a orientação de Jesus: “...Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23 – grifo meu).

NEGAR A SI MESMO

Negar a si mesmo é andar na “contra-mão” do mundo. Enquanto o mundo nos estimula (até exige) a cuidarmos da nossa aparência, buscarmos o maior conforto possível, satisfazermos todas as nossas vontades, tentarmos realizar todos os nossos sonhos, usarmos todos os meios disponíveis para alcançarmos a nossa felicidade, mesmo que isto cause a infelicidade de outros, o Evangelho nos leva a não nos preocuparmos com aparência, conforto, satisfação de vontades pessoais, nos leva a abrirmos mão de nossos sonhos em troca de cumprirmos a vontade do Pai, e nos ensina que o único caminho para a felicidade pessoal é buscar a felicidade de Deus e dos homens.

Normalmente, pensamos que, ao negarmos a nós mesmos, estaremos entrando em uma vida de dolorosos sacrifícios, de “pagamento de preços”. Porém, não é isto que acontece na prática. Como dizia o grande pregador americano do século XIX, Charles Finney, “a felicidade é a satisfação do desejo”. Quando, verdadeiramente, amamos a Deus e aos homens, o nosso desejo será o de que eles sejam felizes. Isto quer dizer que, quando eles ficarem felizes, automaticamente ficaremos satisfeitos e, portanto, felizes também.

Isso acontece quando, por exemplo, um criminoso condenado se entrega ao senhorio de Jesus. Não importa se tivemos participação nesta conversão, ou não. O que importa é que uma alma foi resgatada das mãos do inimigo. Esta alma estará feliz pela libertação de seu cativeiro espiritual e pela possibilidade de encontrar o tesouro que está oculto no campo (ver Mt 13.44). E nosso Deus Pai também estará feliz, por avistar ao longe o seu filho pródigo voltando. Se amamos a Deus e ao próximo, ficaremos felizes com a felicidade do criminoso e com a felicidade do nosso Senhor! Assim, esta é a receita que o Evangelho nos dá, para a nossa felicidade: “amem a Deus e ao próximo! Deixem que o Senhor acrescente tudo o que for realmente necessário para as suas vidas”.

Isso nos leva a concluir que, ao invés de “pagarmos um preço”, ao invés de entrarmos em uma vida de sofrimento, quando dizemos “não” para as nossas vontades, na verdade, estaremos andando no caminho que nos traz felicidade. Neste caminho, só iremos sofrer quando não quisermos abrir mão de uma vontade nossa, ao buscarmos a felicidade de Deus e dos homens. Se eu não abro mão de comer “manjares especiais”, vou sofrer muito ao ofertar meu dinheiro ao Senhor, porque não vai sobrar o suficiente para eu satisfazer o meu desejo. Se eu não abro mão de uma programação na televisão, vou sofrer muito ao ter que sair para fazer a obra de Deus, porque não vou satisfazer meu desejo de assistir meu programa favorito. Se eu não abro mão de julgar aos outros, vou sofrer muito ao ter que perdoar, porque não vou satisfazer o meu desejo de que os outros se dêem mal. Se eu não abro mão de contar o segredo de alguém para outra pessoa, vou sofrer muito ao ser repreendido, porque não vou satisfazer o meu desejo de ser o “dono da verdade e do conhecimento”. Se eu não abro mão da minha soberba também nas pequenas coisas, vou sofrer muito ao ser disciplinado pelo Senhor, porque não vou satisfazer o meu desejo de me assentar acima do Trono de Deus.

TOMAR A PRÓPRIA CRUZ DIA A DIA

E o Senhor me diz que, para O seguir, devo carregar a minha própria cruz, todos os dias. Que peso insuportável! Olho para o caminho à frente, em direção ao calvário, e ele parece não ter fim. Parece que não vou suportar o peso de todas as coisas que formam a minha cruz. O peso das minhas injustiças para com os outros. O peso da minha soberba impregnada em cada ato meu: uma soberba que sempre me levou a julgar àqueles que estavam em um estágio mais alto na fé, ao mesmo tempo que me levava a desprezar aos que eram mais fracos nela; soberba que sempre me levou a pensar que era o melhor cônjuge do mundo, o melhor pai, o melhor filho, o melhor estudante, o melhor trabalhador, o melhor amigo, o melhor colega, o melhor cristão, o melhor em tudo...

É essa soberba que me leva a discutir com os outros, sem considerar nada a favor deles, tão-somente, que eles estão errados e eu certo. É ela que me leva a não aceitar o arrependimento de alguém, porque essa pessoa não pode ser mais humilde que eu. É ela que me leva a não perdoar os erros dos outros, porque eles têm que ser perfeitos como eu. É ela que me leva a aprovar algo feito por outra pessoa, mas acrescentando que eu faria diferente, para que ficasse melhor. É ela que me leva a querer cumprir a lei sobre o pecado dos outros, mas exigir a graça sobre o meu pecado. É ela que me leva a pensar que posso ‘fazer’ alguma coisa para herdar a vida eterna, ao invés de aceitar o amor e o perdão de Deus, em Cristo Jesus crucificado e ressurreto, e confiar que o mais Ele fará. É ela que me leva a pensar que posso me santificar, para que o Senhor Se aproxime de mim. Aceitar a graça é confirmar que sou incapaz de fazer qualquer coisa que me justifique diante de Deus e isto é contrário ao que me diz a minha soberba.

Mas, graças a Deus, uma autoridade superior determinou que Simão levasse a cruz de Jesus até o Calvário (ver Mt 27.32). Da mesma forma, uma autoridade superior, Jesus, determinou que Ele próprio seria meu companheiro de jugo e dividiria o peso comigo. Mais do que isto, Ele disse que me aliviaria da minha sobrecarga, se eu tomasse sobre mim o Seu jugo e aprendesse com Ele. Assim, eu acharia descanso, porque o Seu jugo é suave e o Seu fardo é leve (Mt 11.28-30). Aprendendo com Ele, Seu Espírito me purifica dia a dia, através da Sua Palavra, e descubro que o peso vai sendo arrancado de meus ombros.

Que alívio tremendo é estar chegando de volta à casa de meu Pai e perceber que Ele veio correndo até mim, antes mesmo que eu chegasse lá. É como um bálsamo sobre uma ferida sentir o amoroso abraço de nosso Pai Celestial, Seus beijos afetuosos, e Sua imensa alegria por minha volta à Sua casa. Que paz tremenda eu sinto ao perceber que Ele não quer que eu peça perdão pelos meus pecados, porque Ele já viu o arrependimento em meu coração, e nem quer mais que eu fique falando sobre eles. Que alegria eu sinto ao entender que tudo o que Ele mais quer é ter comunhão comigo, que eu não saia mais de Sua presença. Que felicidade é saber que Ele considera morto o meu “velho eu” e só Se interessa pelo “novo homem” que o Seu Espírito está formando em mim, agora.

SEGUIR A JESUS

Ao atender ao chamado de ir a Jesus, tomar sobre mim o Seu jugo e aprender com Ele, todo o peso da minha cruz está sendo desfeito. Seu Espírito está realmente me aliviando e me fazendo sentir a leveza de Seu fardo. O Senhor tem, dia a dia, arrancado de mim cada item que pesava contra mim. Isto me faz pensar que, ao dizer que devemos tomar nossa cruz dia a dia e seguí-Lo, o Senhor, na verdade, quer que reconheçamos as coisas que pesam sobre nós, para que Ele possa tratar, consertar, à medida que concordamos com Ele e que permitimos sermos moldados à Sua semelhança.

Seguir ao Senhor é estar consciente de que serei transformado todos os dias, até alcançar a perfeição de santidade que me permitirá ver ao Pai. É estar consciente de que em meus dias, aqui na terra, posso não ter nem onde reclinar minha cabeça. É estar consciente de que o mundo será contra mim e, mesmo assim, posso me animar, porque o Senhor venceu o mundo. É estar consciente de que posso passar por inúmeras privações, porém, o Senhor estará comigo e nada vai me separar do Seu amor. Seguir ao Senhor é não pensar mais em vantagens para a minha vida, porque já não sou mais eu que vivo, mas Cristo vive em mim. Seguir ao Senhor é andar no caminho apertado, aquele caminho onde não cabe nenhuma dessas nossas vontades.

Seguir ao Senhor me faz não pensar mais no peso da minha cruz, nem pensar no conforto e na segurança para mim mesmo. Eu o sigo com a certeza de que a minha vida é o despojo suficiente para mim, porque Ele sabe tudo o que é necessário para que Seu propósito se cumpra em mim, sem a necessidade (muito menos, a possibilidade) de que eu O dirija. Me alegro com Suas palavras: “Pois certamente te salvarei, e não cairás à espada, porque a tua vida te será como despojo, porquanto confiaste em mim” (Jr 39.18). Amém!

10 comentários:

disse...

Pois é mano, nossa satisfação tem que está inserida na satisfação do Senhor, aí sim ela é plena sendo como manda o verdadeiro Evangelho, que sempre se alegrar com a alegria do outro. Procurando sempre o bem do próximo. Paz!

René disse...

É isso mesmo, Rô! Essa é a essência do Evangelho!

Bj e Paz!

Rita disse...

Amém,e amém!!
Paz!
Não há maior alegria para nós servos que entender e viver plenamente o negar-se, e, o lançar sobre Ele nosso fardo,tomar a cruz e seguir em frente,de fato o jugo do Senhor é suave e seu fardo leve,nós é que por conta da natureza tentamos fazer o que é impossível e aí sim fica tudo muito difícil...
Basta dizer sim para Ele,não para o mundo e aceitar o grande amor do Pai,essa mensagem é uma porta aberta para muitos presos em seus próprios mundos e conceitos.
Que o Eterno continue abençoando sua vida,graça e paz sempre!!

René disse...

Amada Rita,

Agradeço as suas palavras de bênção e peço a Deus que assim seja com você e sua família também!

Realmente, entender e viver essas coisas é a nossa maior alegria!

Grande abraço e continue na Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

René do céu! Que "refrescante" ler a exposição dos princípios básicos do Evangelho sendo pregado, postado, exposto, proclamado de forma inteligível e harmoniosa.
É disso que todos que ainda não conheceram o Evangelho precisam, é disso que os que conheceram a religião evangélica contemporânea precisam, Palavra de Deus.
Fico embasbacado com a falta de entendimento e conhecimentos bíblicos da GRANDE maioria da população chamada de "povo de Deus" hoje.
René, será que só tem fariseu? Praticamente ninguém parece ter entendido NADA do Evantelho.
Não sabem o básico que é salvação por fé.
Criaram um invangélio que prega salvação por bom comportamento misturado ao medo do inferno e fé ao deus que é a cara do diabo.
Graça, paz e bem.

René disse...

Amado Cláudio,

Fiquei surpreso com a sua satisfação por este texto. Ele foi escrito em meio a lágrimas pelo reconhecimento do que eu sou, diante dAquele que É!

Acredito que a resposta para algumas de suas perguntas esteja no que eu mais ressaltei, neste texto: a soberba humana! Esta é a grande causadora da incredulidade, que nos separa do nosso Deus Pai e Criador. Ela é o motivo de rejeitarmos a salvação somente por fé, pois, assim, não temos o controle que gostaríamos de ter sobre nossas vidas. Ela é a causadora do próprio farisaísmo.

Analise o 'invangélio' que você citou: salvação por bom comportamento = Eu mereci!
Medo do inferno = Eu não mereço isto!
Fé num deus que é a cara do diabo = Eu criei deus à minha semelhança!

Soberba! Este é o pecado original! Este é o pecado de morte, que blasfema do poder do Espírito Santo em fazer todas as coisas e, por isto, O rejeita. Sem Ele, não somos conduzidos a Jesus, que é o Caminho, a Verdade e a Vida!

Grande abraço, meu irmão, e muita Paz!

Tamiris Gomes * disse...

Olá René, quanto tempo.
quase não entro aqui em razão do tempo, mas consegui um tempinho hoje.
Enfim... Me tocou muito o que vc escreveu, estava precisando ouvir isso, Creio que foi o Senhor que me reservou esse tempinho pra eu ler essas preciosas palvras. Sei que não ter tempo para Deus é viver perdendo tempo, e eu ultimamente perdi muito tempo. Semana passada conversei com Deus sobre isso atravez da oração, e em seguida veio a mim a palvra do
senhor dizendo em Ezequiel?: 34 "Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei.Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; e livrá-las-ei de todos os lugares por onde andam espalhadas, no dia nublado e de escuridão.E tirá-las-ei dos povos, e as congregarei dos países, e as trarei à sua própria terra, e as apascentarei nos montes de Israel, junto aos rios, e em todas as habitações da terra.Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será o seu aprisco; ali se deitarão num bom redil, e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel.Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor DEUS.A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com juízo." Ele está me trasendo de volta (pesso que esteja orando por mim). E esse seu texto foi inspiração do Senhor pra minha vida. Que vc continue Sendo esse canal nas mãos do Senhor...

Abraço em Cristo Jesus.

René disse...

Oi, Tami,

É verdade: há quanto tempo a gente não se "vê"!!

Se este texto tocou seu coração, certamente, foi o Espírito de Cristo falando com você, minha amada. Como eu comentei com o Cláudio, escrevi este texto em um momento de relacionamento íntimo do Senhor comigo. Minha intenção não era a de fazer com que as pessoas agissem da mesma forma, ou tomassem isto como ensino. Afinal, somos todos servos de Jesus e Ele, pessoalmente, trata com cada um de nós. A própria palavra de Ezequiel, entregue a você pelo Senhor, é prova de que Ele está constantemente junto a nós, aproximando-nos dEle.

Mas tenho aprendido que o Senhor usa o testemunho de vida de um, para Se achegar ao outro. Pelo que você escreveu nas entrelinhas, você está em um momento no qual tem sentido falta desse aconchego com o nosso Pai. Pode ter certeza de que o que você sentiu foi Ele correndo em sua direção, para abraçá-la, beijá-la, e recebê-la em Seu colo, para renovar esse relacionamento dEle com você.

Continue nessa Paz e receba um grande abraço deste seu irmão em Cristo!

Tamiris Gomes * disse...

Abraço recebido :)



É bem verdade tudo o que vc descreveu, o Senhor fala com cada um de forma diferente e direta e também usa o testemunho do outro. A palavra de Deus diz: Aquele que crê em mim, do seu interior fluirão rios de aguas vivas, e por onde esse rio passar, tudo viverá e transformará saudaveis todas as coisas. Essas aguás vivas são nossos testemunhos, atitudes, palavras, que o Senhor através do seu Santo èspirito, usa pra atingir o outro; e foi isso que aconteceu, o rio fluiu. E continuará fluindo em cada um de nós que permanecer em Cristo. Glórias a Esse Deus todo poderoso que nunca nos deixa só!


Que a paz do Senhor continue nas nossas vidas. Abraço desta irmã em Cristo.

René disse...

É isso mesmo, Tami! Amém!!!

Abração e continue na Paz!