"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

quarta-feira, 23 de março de 2011

Amar a Ponto de Interceder

- por René Burkhardt | 25 de Fevereiro de 2011

Toda intercessão é oração, mas nem toda oração é intercessão. Interceder é intervir a favor de alguém, intervir a favor de um condenado. E, para que haja esta intervenção, é necessário que o intercessor deixe de lado seus próprios interesses, a fim de argumentar, até obter resposta, junto àquele que está investido de autoridade para livrar ou condenar.

A Palavra de Deus está repleta de exemplos de intercessão, através de Abraão, Moisés, Josué, Salomão, Jeremias, e muitos outros. Evidentemente, o maior exemplo de intercessão nos é dado através de Jesus. Isaías, setecentos anos antes, pode ver a intercessão do Senhor: “Pois ele carregou o pecado de muitos, e INTERCEDEU pelos transgressores” (53.12). O profeta viu Jesus Se colocando como mediador entre Deus e a humanidade e também viu Seu sofrimento por isso: “um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima” (53.3).

Essas palavras nos remetem a momentos cruciais da vida de Jesus aqui na Terra. Em João 17, vemos o Senhor orando ao Pai, em favor de todos os que nEle crêem. Ele intercedeu por todos! Não para que tivéssemos uma vida sem problemas, ou para que fôssemos ricos, mas para que Deus nos livrasse do mal, para que fôssemos cheios do amor de Deus e para que Ele mesmo, Cristo, pudesse estar em nós. Logo depois de interceder por nós, Jesus foi ao Getsêmani, onde Ele foi acometido por tamanha tristeza, que Seu suor era como gotas de sangue caindo ao chão. Esta seqüência de fatos demonstra o sofrimento a que é acometido aquele que intercede por outra pessoa, guardadas as devidas proporções. Isto significa que interceder está intimamente ligado a sofrer, de alguma forma, a dor da pessoa representada diante de Deus. Não se trata de algum castigo, ou algum tipo de sadismo da parte de Deus, mas de dividir o sofrimento do outro, como em um jugo, movido pelo único combustível capaz de realizar uma verdadeira intercessão: o amor de Deus em nós, Cristo em nós!

Em Hebreus, aprendemos que “Todo sumo sacerdote é escolhido dentre os homens e designado para representá-los em questões relacionadas com Deus e apresentar ofertas e sacrifícios pelos pecados. Ele é capaz DE SE CONDOER dos ignorantes e dos que erram, pois ele mesmo, também, está rodeado de fraquezas” (5.1-2). Também aprendemos que “Ninguém toma esta honra para si mesmo, mas deve ser chamado por Deus” (5.4). É claro que Deus não nomeia mais nenhum sumo sacerdote, pois Jesus é o Único e para sempre. Mas é evidente que o Senhor nos levanta, algumas vezes, para intercedermos por alguém.

A Palavra nos dá exemplo disto: em João 4.46-53, vemos a história de um homem nobre que intercedeu por seu filho, junto ao Senhor. Aquele homem foi de Cafarnaum a Caná, distantes cerca de 40 km entre si, provavelmente por ter ouvido que Jesus se dirigia para lá e por saber que Ele era poderoso, a ponto de livrar da morte. Ele deixou tudo para trás, não se importando consigo mesmo. E era homem reconhecido na sociedade, afinal, ele era oficial do rei. Mesmo assim, ele se dispôs a enfrentar a viagem, a deixar seu trabalho e os cuidados com sua casa, a fim de interceder por seu filho. E, diante de Jesus, ele intercedeu: “suplicou-lhe que fosse curar seu filho, que estava à beira da morte” (v. 47).

Este exemplo nos traz mais um elemento necessário na intercessão: a fé! E não se trata de fé em que Jesus tem o poder para curar. É mais do que isto: é fé em que Jesus é o próprio Deus encarnado! Quando o homem rogou a Jesus, Este respondeu: “Se vocês não virem sinais e maravilhas, nunca crerão” (v. 48). O que Jesus quis dizer com isto? Ele estava dizendo ao oficial que uma libertação milagrosa não era a sua necessidade mais urgente. Na verdade, a questão número um era a fé desse homem. Cristo poderia ter entrado na casa daquela família, ter imposto as mãos sobre o filho moribundo e o curado. Mas, assim, tudo o que a família saberia a respeito de Jesus era que operava milagres. E o relato nos dá conta de que houve salvação naquela casa, indiretamente, por causa da intercessão do homem. Sua resposta, diante do comentário do Senhor, foi: “Senhor, desce, antes que meu filho morra” (4:49). Ele estava dizendo que levava em consideração, sim, o poder curador de Jesus, mas, antes disto, sabia que Ele é o Senhor, é Deus! E Jesus reconheceu esta sua fé, pois lhe disse “vai, teu filho vive!”.

Um outro elemento que nos é mostrado é que a intercessão não significa atendimento imediato! O homem intercedeu e Jesus passou a provar a fé desse homem, para ele mesmo. Algo semelhante aconteceu com Moisés, que intercedeu pelo povo (diversas vezes), Deus disse que não atenderia sua intercessão, mas, mais tarde, livrou o povo. Também aconteceu com Jeremias. E o que podemos inferir disto é que o Senhor, além de nos levar a interceder individualmente por alguém, também tem um propósito maior a ser cumprido, mediante tal intercessão. E, normalmente, esse propósito é de que um maior número de pessoas O reconheça como Deus, reconheça que Jesus é Deus e que a salvação só ocorre por isto, viabilizada pelo amor!

É importante essa compreensão mais ampla sobre a intercessão, porque é muito comum vermos pessoas pedindo que irmãos intercedam por alguém. Entendo que o pedido correto a ser feito é o de que se ore por esse alguém, pois a intercessão será requerida diretamente por Deus de alguma pessoa que Ele levantar para isso. Às vezes, a pessoa que está sendo ‘defendida’ nem sabe que tem alguém intercedendo por ela. No entanto, ao final, o propósito do Senhor se cumpre.

Portanto, se você se sentir impelido a orar por alguém, sentindo uma grande tristeza em seu coração e uma urgência incompreensível para orar, disponha-se ao Senhor. Olhe para a pessoa com os olhos do Senhor, para poder reconhecer o Seu amor por ela (nem sempre somos levados a orar por alguém que nos seja agradável). Quando estiver certo desse amor, virá a parte mais difícil: se dispor a repartir a dor da pessoa consigo mesmo, a fim de que ela tenha forças para reconhecer a Jesus como Senhor de sua vida e se entregar a Ele, para fazer parte da Sua unidade com Deus! Você terá que amar a ponto de interceder!



Getsêmani (letra)

No Getsêmani foi que meu Jesus orou,
Se entregando ao Pai mais uma vez.
Logo vieram pessoas para O levar para a maior das provações
Ele tanto amou tudo suportou.
Ele carregou a nossa cruz.
Vê os cravos nas mãos, Seu corpo a sofrer
Naqueles momentos de dor.
Vê o mestre a chorar
E foi por você que Ele mostrou tanto amor.
Os soldados cuspiam no Seu rosto nu...
Posso ouvir o clamor da multidão.
E Jesus, a olhar aquele céu azul,
Pede ao pai que lhes dê o Seu perdão.
Ele tanto amou, tudo suportou.
Ele carregou a nossa cruz.
Vê os cravos nas mãos, Seu corpo a sofrer
Naqueles momentos de dor.
Vê o mestre a chorar
E foi por você que Ele mostrou tanto amor.
Ele tanto, tanto me amou.
Ele tudo por mim suportou,
Ele carregou minha cruz.
Vem vê os cravos nas mãos, Seu corpo a sofrer
Naqueles momentos de dor.
Vê o mestre a chorar
E foi por você que Ele mostrou tanto amor.

18 comentários:

CARLOS HERRERA disse...

Renê,

voltou com tudo, né? rsrs

Como vc bem disse, oração é comunicar-se com o Pai, e a intercessão é o ato de comunicar ao Pai as angustias, tristezas,dores e duvidas do próximo ao Senhor.

É esquecer de si por um instante pelo outro ...
é ir além da simpatia, é ter empatia pelo outro...sentir suas alegrias e tristezas, angustias e prazeres, e apresenta-las diante do trono de Deus.

Mano, necessitamos mais de intercessores....pessoas que estejam dispostas a carregar a cruz do outro como se o fardo fosse seu!

paz, forte abraço..fui...

René disse...

'Na mosca', Herrera!!! É isto mesmo!!!

Quanto a mais intercessores, entendo que esteja dentro daquela frase de Jesus: "Há poucos trabalhadores. Orem para que o Senhor da seara mande mais pessoas!". Claro que são necessários outros tipos de trabalhadores também, mas os intercessores fazem parte dessa mão-de-obra necessária.

Forte abraço, meu amigo, e continue na Paz!

Conexão da Graça disse...

René, como está?! Eu tenho o péssimo hábito de começar a escrever um monte de coisas ao mesmo tempo e ir terminando aos poucos conforme os insights que vão encharcando o meu coração. Entre esses muitos começos está um texto sobre oração que pretendo terminar em breve. Creio na oração e na intercessão não com a configuração que se instalou no meio evangélico, ou seja, um mecanismo para manipular a vontade Divina, mas como um relacionamento natural entre duas pessoas que se amam. Certo dia uma pessoa me interrompeu em uma conversa e citou um trecho da obra de Dostoievski “Os Irmãos Karamazov “ dizendo o seguinte: “Se Deus sabe tudo e sabe do que eu preciso, pra que eu preciso rezar ?”. Minha resposta foi: “Não rezamos para informar Deus sobre nossas necessidades, e sim para ter amizade e relacionamento em amor com Ele”.Gostei do seu texto porque vc tratou do assunto com equilíbrio e sensatez. O bloco onde vc fala sobre a fé, é essencial para desenvolvermos o privilégio e o prazer de orar, não se trata de fé que torce o braço de Deus, mas de fé que tem conteúdos,valores e motivações corretas, e que por si só já se manifesta com nobreza.É isso. Um abração e “continuemos a carregar a cruz com classe sem perder a elegância” rs, Franklin.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Amém René e que música mais linda é essa? Não conhecia, que maravilha de post. Paz e bem.

Rita disse...

Bom dia,

Todos nós temos essa missão,de orar uns pelos outros,descrita em Tiago 5;16

Além de claro ,movidos pelo amor orar pelos que ainda não conhecem o Caminho,mas buscam um Deus,não o que conhecemos ,nosso Salvador,mas um que supra suas necessidades,e é nessas intercessões que muitas vezes o Pai apresenta um luz para que conheçam a verdade.

...Às vezes, a pessoa que está sendo ‘defendida’ nem sabe que tem alguém intercedendo por ela. No entanto, ao final, o propósito do Senhor se cumpre.

Os planos do Pai vão além de nosso entendimento,por isso oremos seja pelos irmãos,seja pelos que ainda não o são,mas acima de tudo exercitemos o amor para com aqueles que ...julgamos não ser tão agradáveis...
Talvez esses precisem justamente do nosso amor, daí a razão de sermos incomodados a orar por eles...
O amor é uma pessoa, quem O tem,ama sem distinção!!

Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 1 João 4:8

Paz!

Regina Farias disse...

Amado René.

Já li e reli esse texto, já me emocionei, já chorei, mas de profunda alegria e imensamente grata ao Senhor por essas palavras que aparentemente são didáticas mas na verdade repletas de bálsamo e conforto ministrando meu coração.

Não quero parecer pretensiosa, pois sei do enorme alcance do teu blog, graças a Deus, mas confesso que sinto lá no fundo da minha alma, como se esse texto fosse direcionado a mim

Deus é maravilhoso!

Há pouco estava lendo em voz alta para minha nora que chegou aqui e deitou-se na minha cama ainda meio sonolenta. (São quase onze da manhã, mas ela está de licença médica por causa da catapora).

Beijos,

R.

René disse...

Franklin,

Estou bem, graças a Deus! Obrigado por perguntar! E você?

Pelo jeito, temos um péssimo hábito em comum: o de começar a escrever um monte de coisas e ir terminando aos poucos, conforme o Espírito Santo vai ensinando. Pra você ter idéia, compilei algum material pra escrever sobre oração em 2003. Mas, na prática, eu não sabia muito sobre o assunto, a não ser o que me havia sido passado por pessoas religiosas. De lá pra cá, o Senhor me ensinou muitas coisas, totalmente diferentes do que eu havia aprendido e totalmente coerentes com a Sua Palavra. Do final do ano passado pra cá, o Senhor tem me ensinado sobre a intercessão, inclusive, me ensinando a praticá-la, em alguns momentos. E comecei a escrever este texto no último mês, Fevereiro. Ele seria bem maior, mais ou menos com o dobro do tamanho deste. Pra não ficar cansativo, preferi cortar um bocado. O restante, provavelmente, virá mais adiante.

O mais importante, creio que seja o que você comentou, sobre passarmos a compreender que a oração e a intercessão não são mecanismos para manipular a vontade de Deus, mas um relacionamento íntimo entre duas pessoas que se amam. E, nesta intimidade, a fé é essencial.

Valeu, meu querido, por esse comentário enriquecedor, na medida em que chama a atenção para esses pontos essenciais!

Forte abraço e continue na Paz!

René disse...

Cláudio,

Eu também não conhecia esta música. Estava procurando um louvor da Alda Célia, quando percebi esse aí em um cantinho. Botei pra rodar e me supreendi com a beleza da letra e da música. E o cantor, que conheci através da Rê, é excelente!!!

Grande abraço, meu amigão, e continue na Paz!

René disse...

Rita, minha querida amiga,

Acho que hoje eu consigo começar a pagar minha dívida com você. Depois que minha internet 'ressuscitou', dei uma olhada em seu blog, mas percebi que teria que dirigir bastante atenção aos textos, por sua profundidade. Assim, não quis ler rapidamente, displicentemente. Já, já, vou lá!!

É verdade, minha querida, todos nós temos a missão de orar uns pelos outros e de orar por aqueles que ainda não conhecem ao Senhor. E tenho aprendido que até na oração pelos outros, o Espírito Santo nos mostra qual a vontade do Senhor. Neste caso, sentimos uma 'necessidade' de colocarmos a vida de alguém diante do Senhor, durante algum tempo. No final, normalmente, a gente sente uma Paz indescritível no coração. Entendo isto como resultado da vontade do Pai atendida e satisfeita.

Mas, acima de tudo, precisamos desse amor, essa Pessoa, Jesus, em nós, pra promover tudo isso, como você bem ressaltou!

Forte abraço e continue na Paz!

René disse...

Rê, minha amada amiga,

Em Fevereiro conversamos um pouco sobre esse assunto e eu disse a você que escreveria sobre ele. Também disse que o Senhor já havia me dado o 'script', mas que precisava passar para o papel/PC.

Ali, você já havia dado sinal de que o Senhor também estava falando com você a esse respeito. Por isto, me alegro que lhe tenha feito bem ler este texto, porque creio que é verdade o que você disse ter acontecido com você.

Só não sei se fará o mesmo efeito sobre sua nora. Como eu disse no texto anterior, creio que o Espírito Santo aja de forma diferente e em tempos diferentes em cada pessoa. Mas, muitas vezes, um mesmo texto nos traz um ensinamento, enquanto, à outra pessoa, traz um ensinamento diferente. Por isto, não podemos parar de declarar a Palavra do Senhor. O Espírito de Cristo faz uso dela, conforme Ele quer. Creio que isto seja o que Paulo chamou de "lavagem de água, pela Palavra".

Sem dúvida, Deus é maravilhoso!!!

Beijos pra você também e muita Paz!

Wendel Bernardes disse...

Cara,
legal encarar a intercessão duma forma desligada da religiosidade, né?
Sempre ouví que interceder por alguém era clamar pelos aflitos, e é claro que concordo com isso, mas no caso 'cristão' isso para por aí, né?
Carrregar a cruz (com estilo ou não Franklin) é algo imprescindível a quem diz ser intercessor...

E é claro que Jesus é o maoir intercessor de todos os tempos, cara! Imagine, além de rolar lagrimas de sange (que os malucos que não entendem a Palavra acham que Ele está preocupado consigo mesmo... tsc) e além disso, carregou a cruz e fez o que era válido pra cada homem ou mulher na Terra!

Velho, cada dia mais curto suas palavras e sei que está cada vez mais inspirado... (põe na cruz, ok?) pois isso só acontece quendo os insights são soprados pelo Espírito de Cristo!

Valeu Apóstolo!
Curti demais!
Sem adendos dessa vez...

René disse...

Wendel,

Ponho os elogios na cruz, sim! Certamente que sim!!! Mas não posso deixar de me alegrar por saber que um amigo (ou mesmo que fosse um desconhecido qualquer) tenha gostado de um texto que eu tenha escrito, porque percebo, aí, que essa pessoa foi instruída pelo Espírito de Cristo, assim como eu mesmo o fui, ao receber dEle a inspiração. E isso não foi feito por nós sermos "o cara", mas pela Graça e pelo Amor do Senhor por nós. Assim, a alegria pelo elogio não é por soberba, mas por admiração à obra do Senhor. Acho que você entende o que digo.

Digo isto, porque vejo que você foi no cerne da questão, ou seja, recebeu do Espírito Santo a instrução principal, junto com as outras, sobre a intercessão: ajudar, ainda que temporariamente, em ocasiões específicas, a carregar a cruz de outra pessoa.

Forte abraço, com muita felicidade, e continue na Paz!

Regina Farias disse...

René,

Se eu fosse comentar teu texto por parágrafo como costumo fazer com textos mais extensos, daria umas dez páginas de "word". Mas não o faço porque não teria mais fim, afinal assunto denso dá nisso rss. Depois textos assim é só pra degustar e degustar... e pronto. A gente comenta pra não perder o hábito rsss (E ainda volta pra comentar de novo he he)

Mas gostaria de acrscentar umas cositas:

Uma, em relação ao que vc comentou sobre minha nora. Eu li em voz alta e empolgada, não para "convencê-la" de alguma coisa, mas justamente porque ela tem acompanhado meu drama familiar e achei por bem mostrar-lhe como Deus age de forma soberana.

Outra coisa: quando li o título da postagem já sabia que era sobre o que havíamos comentado há mais de mês. No início aguardei ansiosa e a postagem nunca vinha (risos) até que relaxei e entendi que era pra vir no momento de vir e ponto final. Pois, muitas vezes, quando estamos com a mente super carregada de informação, principalmente se tem a ver com nossas emoções, nossas ânsias, findamos por não absorver de forma ampla aquilo que lemos. Tendemos a "ver" só o que queremos na nossa limitação humana teimosa e vaidosa. E, agora, mais centrada em relação a tudo que tem acontecido nesses últimos meses, a paz que se instalou em meu peito me confere a lucidez de "ver" o agir sobrenatural. Parece contraditório para aqueles que pensam que sobrenatural tem algo a ver com misticismo, quando na verdade tem a ver com o que Deus faz nas nossas mentes, de modo que haja clareza e discernimento, a tal ponto que se instale essa paz que excede todo o entendimento e que nos aponta a forma adequada de agir.

E, por último, esqueci de dizer que uma das coisas que mais me chamou a atenção nesse texto, foi a forma simples, enxuta, clara e direta como você coloca o que muitos veem de forma errônea acerca do "suor de sangue" expelido por todos os poros Daquele que é o nosso maior intercessor.

Deus te abençõe!

R.

René disse...

Rê, minha querida,

Acho que vou ter que replicar por parágrafo, também!!! Espero que não chegue a dez páginas!!! rsssssssssss

Tenho certeza que você não leu o texto pra sua nora, com a intenção de convencê-la de algo. O que eu disse antes, foi em relação à possibilidade de ela não entender a mensagem da mesma forma que você, por não estar vivendo a mesma coisa que você (nossos sentimentos são diferenciados em relação a todas as coisas), apesar de estar acompanhando a situação bem de perto. Mesmo assim, ela pode chegar à conclusão sobre a ação de Deus em soberania, com o mesmo texto, mas com sentimentos diferenciados. É bastante comum acontecer isto! Enfim, não estava recriminando sua leitura para ela.

rsssss Eu também já sabia que você ia ligar a postagem à nossa conversa!!! Por isto, nem avisei a você que estava postando o prometido! rssss Demorou, mas saiu. E, hoje, entendo o motivo da demora. Era necessária uma sucessão de fatos para complementar a idéia que o Senhor estava me mostrando.

O sobrenatural místico existe. É chamado de milagre. Só que milagre é a realização de algo impossível em um momento, é o que não existe passar a existir. Isto é mais raro! Esse sobrenatural que Deus faz em nós é que é 'lugar-comum', algo que está sempre acontecendo, dia a dia. E não deixa de ser um milagre, só que daqueles que não são 'instantâneos'. É o milagre da transformação de algo que já existe, o nosso coração de pedra, em algo que só pode existir pela ação do Senhor: um coração de carne. E este, ao contrário daquele, é cheio de Paz!

E seu último parágrafo corrobora o que o Wendel pensa e expressou aqui. É ótimo ver essa unidade!

Todas as bênçãos do Senhor sejam com você! Abração e continue na Paz!

Regina Farias disse...

Menino do céu rsss

Euzinha entendi bem o que vc falou e não vi como recriminação de jeito nenhum:) Apenas achei por bem compartilhar por ter me empolgado, só isso.

Talvez eu não tenha me expressado bem, pois o misticismo religioso é que confunde o sobrenatural místico.

Eu acho que esse texto ainda vai dar muito pano pras mangas...

Que bom, né?

bjs

René disse...

Então, acho que está tudo esclarecido! E, estando bom para ambas as partes, continua tudo como dantes, no quartel de Abrantes (vi você citar isto em algum lugar), com a grande vantagem de termos sido ainda mais edificados!

Vai dar pano pras mangas? Talvez, sim! Tá vindo mais uma fornada por aí!

Bjs, Rê!

Wendel Bernardes disse...

Cara, essa parada de 'pôr na cruz' foi pra mim indispensável um dia viu?
Eu era alguém acostumado, e viciado em elogios...
coisa de músico (deixa pra lá...), e quendo entendi que precisava reoferecer os elogios (louvor) a Deus, comecei a caminhar mais leve. Os elogios sumiram pois comecei a me portar desinteressado deles e comecei a enxergar que quando Cristi inspira, tanto o louvor, como o motivo deste, vêm Dele!

Abraços mano!

René disse...

Wendel,

Acho que todos nós já fomos assim e, infelizmente, muitos ainda continuam sendo. Não é só coisa de músico (entendo bem o que você quer dizer), mas do ser humano em geral.

É assim mesmo: tudo vem do Senhor! Só precisamos compreender isto em algum momento de nossas vidas!

Abração, meu querido, e continue na Paz!