"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

segunda-feira, 6 de maio de 2013

O Conceito Jesus

"Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (Jo 14.6)

No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus. Ela estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dela, e, sem ela, nada do que foi feito se fez. A vida estava nela e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela (Jo 1.1-5).

Vocês sabem que não foi por meio de coisas perecíveis como prata ou ouro que vocês foram redimidos da sua maneira vazia de viver, que lhes foi transmitida por seus antepassados, MAS PELO PRECIOSO SANGUE DE CRISTO, como de um cordeiro sem mancha e sem defeito, CONHECIDO ANTES DA CRIAÇÃO DO MUNDO, revelado nestes últimos tempos em favor de vocês (1Pe 1.18-20).

Diante dessa “Cruz” que existe desde antes da fundação do mundo, TODAS AS PESSOAS têm um encontro pessoal com Jesus em algum (ou em vários) momento de suas vidas. Costumamos olhar para “Adão e Eva” e vê-los sozinhos diante de Satanás, mas a verdade é que a Palavra de Deus (Jesus) estava com eles, que o Espírito de Deus os relembrou dessa Palavra (“não comerás”), e que eles a rejeitaram em prol de sua própria carne, assim como todos os seres humanos o fazem. Alguns, depois, voltam atrás (“Arrependam-se!”, diz o Espírito ao nosso próprio espírito, após nos convencer do pecado) e se reconciliam com o Deus Pai e Criador, reconhecendo a Cruz de Cristo como único caminho que leva a Deus (Abel, por exemplo, reconheceu a necessidade do Sangue para essa reconciliação).

Esse encontro é direto entre o espírito da pessoa e o Espírito de Deus. Esse encontro promove uma mudança na pessoa, inicialmente, interior, que se fixa e evolui a ponto de ser visível externamente. Ela pode não ser aparente em um primeiro momento e, às vezes, também pode demorar a dar frutos aparentes. Mesmo assim, isso é operado pelo Espírito de Cristo paulatinamente e todo ser humano tem oportunidade de concordar com esse processo em sua própria vida ou de rejeitá-lo.

Por isto o “não julguem” (condenação espiritual da pessoa), porque “Deus não vê a aparência, mas o coração”. Jesus é esse Deus que avalia o coração de todos, que mantém à disposição de TODOS instrução, orientação, consolo... Jesus é esse Deus que existe desde sempre, ou melhor, que É... Jesus é esse Deus que Se faz presente em toda a Criação... E isso torna todos os seres humanos indesculpáveis! TODOS!

Poderíamos chamar a isso de “conceito Jesus”, que é revelado, de uma forma ou de outra, a todas as pessoas de todos os tempos. O arrependimento que vem desse encontro e a aquiescência a essa revelação trarão, no devido tempo, seus frutos, naturalmente, mediante revelação e ensino contínuos, pelo Espírito, a respeito da Verdade, que é o Amor, que é Jesus, o próprio Deus! Isso exclui totalmente os esforços do homem (do próprio ou de um terceiro) para sua “conversão”, ainda que uma pessoa seja usada como instrumento de Deus (preparada E comissionada por Jesus) no “chamado” de alguém para esse encontro: é apenas o instrumento (“servo inútil”)... Isso exclui totalmente a possibilidade de alguma organização humana ser responsável pela “salvação” ou “condenação” de quem quer que seja! Nada, nem ninguém, além do Cristo de Deus, o Jesus Eterno, através do Seu Espírito junto a cada ser humano, pode ser considerado agente na conversão/salvação de alguém!

Na prática, o conceito Jesus é a revelação pessoal do próprio Deus Pai e Criador a todas as pessoas, através da qual o ser humano pode se reconciliar com Ele. Essa revelação não depende do homem. Aceitá-la, apropriar-se dela e se conformar a ela, sim! Sempre foi assim, e isso foi preparado desde antes da fundação do mundo.

A transformação dessa Palavra (Jesus) em carne foi necessária para que a compreendêssemos melhor e tivéssemos ainda mais critérios para discernir o Amor. E se os que não O viram são indesculpáveis por não se reconciliarem com o Criador, quanto mais os que O viram ou os que vieram a saber d’Ele através desses.

Esse “conceito Jesus” revelado individualmente a cada ser humano faz com que aqueles que o compreenderam e aceitaram passem a viver essa “boa nova” em seu dia a dia, fazendo parte de uma Igreja invisível em termos de contornos, mas totalmente visível em termos de atitudes práticas de amor a Deus, ao próximo e a toda a Criação. E isso independe de aglomerações, pois essas pessoas seguem o caminho preparado de antemão e indicado pelo Espírito de Cristo, congregando todos os dias com as pessoas que o Espírito quer que congreguem, testemunhando e discipulando com suas próprias vidas a todos que ignoram o Deus Pai e Criador e o Seu Reino. E, ao encontrarem outros que assim também agem, celebram essa vida espiritualmente abundante, partilhando o pão e o vinho, a carne e o sangue de Jesus, o discernimento do caminho que leva a Deus e o próprio Caminho.

Com esse entendimento (e somente a partir disto), pode-se afirmar: “Só Jesus salva!”. Isto, sem mensagens subliminares de que esta é a verdade, mas que, no entanto, isso só é possível fazendo parte de algum grupo ou seguindo uma lista de regras pré-determinadas por homens “sábios” ou por uma tradição de longa data. “Onde há o Espírito do Senhor, aí há liberdade”!

Essa é a Igreja, a Noiva de Cristo: todos aqueles que compreendem, aceitam e passam a viver de acordo com a orientação do Espírito, a partir da revelação pessoal de Jesus em suas vidas. E, isto, desde o princípio da Criação. 

22 comentários:

Wendel Bernardes - Lendas de Vidas disse...

Passei pra te ler... Gostei de seu 'retorno'... Abraços!

René Burkhardt disse...

Valeu, ILE Wendel!!!

Você não leu novidades, tenho certeza, pois é o que temos aprendido pelo caminho, não é mesmo?

Abração e Paz!

Wendel Bernardes - Lendas de Vidas disse...

Já que o Evangelho são Boas Novas, não deixa de ser 'novidade'....

René Burkhardt disse...

Então...

Regina Farias disse...

Também passei pra ler, mas em primeiro momento só pra constatar em mim a alegria do seu retorno.

Porque ler mesmo, digerindo, só depois de umas duas ou três vezes, principalmente texto denso assim. Tem que se ruminar rss

Seja bem vindo divorta!!!

R.

René Burkhardt disse...

Valeu, minha bispa preferida!!!

Com a chuva e o frio que estão abrindo a semana por aqui, eu poderia colocar um bocado de leitura em dia (principalmente, no seu blog), mas vou ter que colocar o computador no conserto amanhã. Mas, mais tarde, vou dar uma checada na estória dos livros "santos e profanos" que você publicou.

Bjs e continue na Paz!

Regina Farias disse...

'Santos e profanos' fica por conta do interprete de linguas pra lá de estraníssimas kkkkkkkk

E tua postagem já tá lá devidamente linkada ;)

Mas me aguarde no meu comentário, tem que ter inspiração.

Agradeço a Deus pela tua volta, sério!

René Burkhardt disse...

rsssssssss... Nosso ILE é o máximo!!!

Valeu!!!

Regina Farias disse...

Ops, estranhíssimas, seu teclado analfa afffff

Wendel Bernardes - Cinema Com Graça disse...

Ah verdade, sou obrigado a concordar... Sou o máximo mesmo!!!

Regina Farias disse...

Então...

Esse 'conceito Jesus' precisa ser implantando urgentemente nos corações de todos e principalmente dos que batem no peito dizendo 'Templo do Senhor é esse', se referindo não ao próprio ser, mas à estrutura física, à instituição religiosa que passou a ser o objeto de adoração deles.

Fiquei perplexa quando li ali um 'depoimento' de um fundamentalista que usa cinicamente o nome de Jesus, e que começa dizendo assim:

Desde tal ano minha família PERTENCE a tal denominação. Fiquei impressionada foi com a expressão PERTENCE, que denota essa idolatria que assola os templos e que não diz nada acerca do 'conceito Jesus'.

Isso tem me entristecido porque, como falei a outro amigo blogueiro ainda hoje, se fosse outra 'religião' eu nem me afligiria. Minha tristeza é acharem que têm o aval de Jesus para saírem falando seus absurdos e batendo orgulhosamente no peito que não é como 'os de fora'.

Na paz que não exclui tristeza...

René Burkhardt disse...

Pois é, Rê,

Isso causa muita tristeza mesmo!

Esse texto está na "gaveta" desde o começo do ano passado (junto a outro que deve sair nos próximos dias) e acabei cortando um parágrafo, onde falava sobre o prazer de se pertencer a um grupo qualquer e o quanto isso é contrário a ser discípulo de Jesus, pois esse pertencer a um grupo supõe distinção entre pessoas melhores (as que fazem parte do grupo) e pessoas piores (as que não fazem parte). Jesus nunca fez isto e nunca sugeriu a ninguém que o fizesse... Muito pelo contrário!

E é verdade o que você disse: esse texto é, principalmente, pra quem está agarrado à religiosidade poder refletir um pouco sobre a correção de suas atitudes.

Bjs e continue na Paz, ainda que com tristeza!

René Burkhardt disse...

ILE Wendel,

Você se empolgou tanto com os elogios, que acabou mandando comentário com nome de guerra!!!! rssssss (claro que eu deletei, pra não espalhar)

Regina Farias disse...

Nossa, o ILE é uma libélula santa?!

To passada afff

kkkkkkkkkkkk

(Momento maledicência rsss)

René Burkhardt disse...

rsssssss Deixe quieto, minina!!!! rsssssssss

Wendel Bernardes - Cinema Com Graça disse...

Viajei na maledissência? Postei no nome da Val de novo, né? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

René Burkhardt disse...

Exatamente, ILE!!! rssssss

Wendel Bernardes - Cinema Com Graça disse...

Pindamonhangaba!

João Carlos disse...

René, apareci e nem foi preciso cantar ein?

Estou na situação inicial da bispa: Deixa eu ler, reler e ruminar este texto pois é profundo demais... Depois eu comento "de verdade"!

René Burkhardt disse...

Sem problemas, João!!!

Abração e Paz!

Alan Capriles disse...

Uau!!!
Que mensagem...

Sabe, amigo, estou com um texto em andamento já faz alguns meses. Escrevo um pouco a cada semana, melhorando um pouco aqui, um pouco ali, e esperando um sinal do Pai para postá-lo. Acredite: acho que seu texto é o sinal! Tudo quanto você diz é praticamente idêntico ao que afirmo. Estou muito impressionado! Mas eu não deveria, pois afinal é o mesmo Espírito que nos sopra essa Verdade em seu poderoso Amor.

Estou compartilhando seu texto, que engrandece a Cristo e ao seu evangelho, fazendo-o romper as barreiras religiosas e denominacionais; mais do que isso: abarcando-o para desde antes da criação do mundo!

Um forte abraço,
no amor de Jesus!

René Burkhardt disse...

Pois é, Alan,

É o mesmo Espírito que nos ensina. Não só a nós dois (não somos melhores que ninguém), mas a todos igualmente. Tenho certeza que o Espírito de Cristo tem insistido: "Saia pra fora dela, povo meu!", referindo-Se à religiosidade que tem aparência de piedosa e de caminho certo, mas que não passa de mais um caminho de morte!

Também creio que Ele tenha feito o mesmo com Caim, que tentou se religar a Deus dando o que tinha de melhor materialmente, mas excluindo Jesus, e também com Ninrode, que tentou chegar a Deus somente através de sua "igreja" de pedra. Isto, só para citar dois exemplos, entre tantos.

Quanto a ser um sinal pra que você publique sua mensagem também, creio ser bem possível. E não esqueça que falamos um pouco sobre isso na última vez que você esteve aqui, apesar de superficialmente. É porque o Espírito de Deus já vem falando conosco a esse respeito há bastante tempo.

Por fim, a eternidade, já que é eternidade e não uma sucessão de fatos, tem que ser inserida em todos os contextos que dizem respeito ao nosso Deus Pai e Criador.

Abração, querido amigo e pastor de verdade, e continue na Paz!