"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Pensando...

Vergonha = Sentimento de desgosto que excita em nós a ideia ou o receio da desonra.

Sentimento provocado pela queda de uma máscara na vida de uma pessoa. Por conta do mesmo pecado de Eva, a soberba, todos criam máscaras para diversas situações em suas vidas, formando, por trás delas, o que é chamado de intimidade ou individualidade. Assim que uma dessas intimidades é exposta publicamente (para uma ou mais pessoas), a pessoa fica envergonhada em um grau que varia de acordo com o quanto tal fato estava escondido.
Senão, vejamos: alguém tira uma nota baixa em uma prova e isto vem a público. Imediatamente, a pessoa fica envergonhada. Por quê? Por tentar passar a imagem de ser mais inteligente do que a nota demonstrou.
Alguém tem sua roupa arrancada por uma onda na praia... Normalmente, a pessoa fica envergonhada. Por quê? Porque outros têm a possibilidade de ver suas “imperfeições” físicas que somente a própria pessoa “conhece” e que passou a vida se esmerando em cobrir. Ou porque os outros podem pensar que a pessoa foi relapsa a ponto de perder suas roupas e agir com falta de decoro. Em ambos os casos, o que envergonha é o fato de os outros pensarem “menos” da pessoa do que ela própria pensa de si; é o fato de os outros constatarem que a pessoa não é tão perfeita quanto ela se considera e tenta demonstrar.
Assim, aplicando-se esse princípio a cada situação de vergonha, constata-se que ela nada mais é do que um ferimento na soberba.

Humildade = Demonstração de respeito, de submissão; modéstia.

É não pensar de si mais do que convém, sendo, portanto, o oposto da soberba. Humilde é aquele que não projeta em si mais do que realmente existe, que se satisfaz com o que é e tem, de forma que nunca será envergonhado. Não é ausência de aspirações, mas a consciência de que não se é menos ou menor, quando elas não se concretizam.

Deus não envergonha Seus filhos, mas permite que todos passem por situações de vergonha, exatamente para quebrantar, esmiuçar, acabar com a soberba de cada um, pois esta leva todos a se sentirem como o “sinete da perfeição” e “iguais a Deus”. Por isto Ele requer humildade em cada um, assim como Ele próprio demonstrou na Pessoa de Jesus.

7 comentários:

Regina Farias disse...

Que prazer voltar a ler suas palavras tão cortantes, mas tão verdadeiras!

Que a humildade seja sempre o bálsamo para aquilo que, porventura, venha a nos envergonhar no caminho.

Sabe...

Ainda ontem falava sobre essa saudade dos velhos tempos de "Café com Leite Crente" também, quando éramos uma família de irmãos com os mesmos pensamentos, as mesmas ideias, as mesmas 'coincidências'...

Enfim, né? As boas lembranças permanecem...

O&A <-- rss

René Burkhardt disse...

Então, Rê,

O que você publicou lá no NR tem a ver com a tal da soberba, aquela coisa de achar que se é bom o suficiente pra ajudar na salvação, na santificação, etc.

Saudade de coisa boa é natural, assim como é natural as coisas mudarem com o tempo. Ainda bem que a gente, pelo menos, ainda mantém contato, entre uns e outros...

O & A pra vc também!!! rsss

cburk12 disse...

"Pensando" bem...muito bom!

João Carlos disse...

Pensando no que você escreveu, lembrei de um treco que comprei e preparei a primeira vez em São Paulo, um tal de Nigauri, que parece com um "pepino derretido".

Anos depois, encontrei aqui na Cadeg com o nome abrasileirado de "Melão de São Caetano" e o preparei refogado. Para quem gosta de jiló, como eu, é um prato cheio, pois ele consegue ser mais amargo.

O "bicho" tem poderes de cura pra quase tudo. Depois pesquisa na Internet.

Mas o que isso tem ver com o que você escreveu, podem perguntar. A resposta é simples: Seu pensamento é "amargamente bom", exatamente como eu gosto. Além disso, cheio de poder curativo...

O&A pra tú!

René Burkhardt disse...

Éééécaa, João, rssss... Mas, enfim, tem gosto pra tudo, não?

Bom... Pelo que entendi, você e a Rê concordaram com o conteúdo, mas ainda não tinham parado pra "vasculhar" o conceito... Eu também não! E, realmente, ele é "cortante" e "amargo"! Foi como o recebi!

Pá tú também O & A!!!

HP disse...

René,

Lendo teu texto, lembrei de um texto do Zé Luis que foi bem ao encontro do teu.

Esse Deus que não desiste de nós e que usa das mais diversas ferramentas para nos moldar de acordo com a Sua vontade.

Dá uma lida:
http://www.cristaoconfuso.com/2014/07/acho-que-acabou-mesmo-vou-pescar.html

Abraços!

René Burkhardt disse...

Então, HP,

Li o excelente texto do Zé Luis. Realmente, o relato dele sobre Pedro nos leva ao que foi descrito aqui. Valeu!!!

Abração e Paz!