"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

domingo, 10 de agosto de 2014

O Outro Lado da Moeda

Muitas vezes, passamos por situações terríveis em nossas vidas, tão dolorosas e incompreensíveis que chegamos a nos perguntar se há realmente um Deus Pai e Criador e, se há, pensamos que Ele não está conosco ou, pior ainda, que Ele nos odeia a ponto de nos deixar passar por tal sofrimento. Ficamos imaginando o que podemos fazer para sair daquela situação e o que podemos fazer para agradar a Deus de forma que Ele nos tire daquilo. Mas nada do que se pense ou se faça dá resultado. E nossa angústia aumenta e a dor ainda mais...

Desesperamos da vida, desesperamos da morte; muitas pessoas, das mais chegadas, se afastam... Perdemos contato... Isso aumenta nossa dor! Por outro lado, outras poucas pessoas, às vezes distantes, às vezes desconhecidas, se aproximam e, como por milagre, ajudam a “afofar nossa cama”, a diminuir nosso sofrimento, ainda que não consigam resolver nosso problema.

Então, nos voltamos novamente a Deus, questionamos, discutimos, agradecemos (às vezes, sem saber ao certo o quê), choramos, nos animamos, nos desanimamos... Por que isso tudo, Pai? E, muito ao longe, além de todo o silêncio que percebemos da parte d’Ele, ouvimos um sussurro que tenta nos reanimar e que, pelo menos, nos conforta um pouco, mesmo sem compreendermos bem a profundidade do que nos é dito:

“Você é uma pessoa muito especial para Mim!”, diz a Voz. “Amo você profundamente, desde que formei você, uma substância ainda informe! Mas também amo a cada um de seus irmãos, todos formados por Mim. Cada um de vocês é especial para Mim, de uma forma diferente! E tudo o que faço é para o bem de cada um de vocês! Mesmo sendo diferentes, cada um de vocês está ligado ao outro nessa vida e na eternidade. Eu fiz isso e assim é! E tenho dito isso há muito tempo!”.

Como? Onde estão essas palavras? Jesus é essa Palavra! Ele sempre (desde a eternidade) nos falou sobre o amor, sobre amar! E para amar são necessárias, no mínimo, duas pessoas. Mas nós, no nosso amor próprio, sempre nos imaginamos na posição do ser perfeito, que faz o que pode pelos outros e que, por isto, merece ser o centro, o objeto, de todo amor que existe! Sempre nos colocamos no lugar daquele que supre a necessidade dos outros e, portanto, o ser humano bom e digno de ser amado por todos. Pensando assim, um homem perguntou a Jesus “quem é meu próximo?”. Tudo o que ele (e todos nós) queria ouvir era que seu próximo seria qualquer pessoa que ele pudesse ajudar ou amar. Mas Jesus lhe contou a parábola do “Bom Samaritano” e, de certa forma, mostrou isso a ele. Porém, muito mais do que isso, Jesus inverteu a situação daquele homem, tirando-o da posição de “ajudador” e colocando-o na posição de “ajudado”. Ele não diz ao homem que o samaritano, ao socorrer o moribundo, estava ajudando ao seu próximo ou que ele havia encontrado o seu próximo. Pelo contrário! Ele pergunta ao homem “quem é o próximo daquele que foi socorrido?”! Com isto, Jesus demonstra que o próximo é cada uma das partes envolvidas em qualquer ato de amor! Ele ensina a lei natural (tão natural quanto a lei da gravidade) de que o amor é feito, no mínimo, de duas partes: aquela que ama e aquela que recebe esse amor. E isto gera o ciclo inverso, automaticamente.

Deus prepara de antemão as boas obras para que o homem de bem ande nelas. Por isto, sempre nos colocamos na posição de “ajudadores” e, até, ficamos felizes com isto. Mas precisamos entender que, muitas vezes, nós mesmos podemos ser essas boas obras preparadas de antemão por Deus, para que alguém ande nelas. Pode ser que seja temporário, pode ser definitivo, mas, de uma forma ou de outra, o melhor a fazer é nos apropriarmos das palavras de Jó, que têm ecoado através dos séculos: “Temos recebido o bem de Deus, não receberíamos, porventura, também o mal?”. Esse mal é somente aparência, por mais que nos doa, porque, na verdade, ele é um bem eterno: é o amor de Deus, o nosso Pai Criador, por cada um de nós!

4 comentários:

cburk12 disse...

Concordo plenamente com teu texto, e dou graças a Deus por podermos compreender estas coisas!!
bjsss

René Burkhardt disse...

Valeu, Christine!!!

Bjs

Esmirna de Cristo disse...

Você é uma benção de Deus, então para o Senhor isso é o mais importante, portanto continue apenas anunciando ele a outras pessoas da maneira que ele espera de você, viva para ele e pronto filho de Deus. Jesus é maravilhoso e ele te conhece melhor do que ninguém. Muitas vezes quando estamos passando por uma situação difícil, infelizmente acabamos nos esquecendo do quanto o amor de Deus por nós foi maior do que qualquer adversidade, a ponto do Senhor suportar tudo que o precisava suportar para que pudéssemos ser reconciliados com o Senhor. É por isso que a razão da nossa vida está nele, pois somente assim o reconhecemos como a única fonte que nos mantém vivos e gratos por tudo que ele representa para nós.

René Burkhardt disse...

Agradeço suas palavras de bênção, Esmirna! Continue na Paz!