"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

sábado, 6 de novembro de 2010

Eternamente no Céu, ou na Terra?

- por René Burkhardt | 06 de Novembro de 2010

Meu amado amigo .....,

Você me perguntou sobre minha opinião pessoal a respeito de nosso destino eterno: “iremos morar no céu, ou na Terra?”. Confesso que me surpreendi com sua pergunta, pois, há pouco tempo, meu sobrinho e eu conversamos sobre o assunto, por algumas horas. Então, achei que isso foi uma daquelas “coincidências” que Deus promove, quando Ele quer que conheçamos um pouco mais sobre o que diz a Sua Palavra, a nosso respeito.

Para lhe responder, meu amado irmão, não vou entrar em detalhes da chamada “escatologia bíblica”, por este ser um dos assuntos que tem mais divisões de opinião, dentro do cristianismo. Além disto, creio que meu posicionamento, nessa escatologia, já ficará implícito em minha resposta. Portanto, procurarei dar uma resposta baseada nas verdades bíblicas já conhecidas e reconhecidas como verdades, de uma forma geral.

Pedro diz: “Nós, porém, SEGUNDO A SUA PROMESSA, esperamos NOVOS CÉUS E NOVA TERRA, NOS QUAIS habita justiça”. Ele está dizendo, em outras palavras: “Em tudo o que Deus faz, há um propósito, pois, se Ele prometeu, irá se cumprir da forma que Ele quer. E o grande propósito, na criação, que Ele nos revela, é que a Sua justiça se manifeste e reine absoluta, tanto nos céus, quanto na Terra!”.

Quando olhamos para o momento da criação, vemos o Senhor dizendo que tudo o que Ele fez é bom. E, quando Ele forma o homem, Ele diz que é muito bom. Assim, podemos apreender que esses “novos céus e nova terra” não são uma nova criação, diante do fim da criação original. É, apenas, a renovação da criação original, quando Jesus “entregar o Reino a Deus, o Pai, depois de ter destruído todo domínio, autoridade e poder. Pois é necessário que ele reine até que todos os seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte.” (1Co 15.24-26).

Apesar de Paulo estar falando sobre o fim, neste texto, podemos afirmar que o “então virá o fim”, a que ele se refere, é espiritual, não físico, em concordância à declaração de Pedro, que já vimos. A criação do Senhor nunca fracassará. Toda idéia de que aquilo que é físico não é parte do plano eterno de Deus, vem de uma mentalidade pagã, sobretudo ligada ao gnosticismo, no qual a matéria e o mundo material no qual vivemos, fazem parte de uma criação corrupta e que tudo o que é material tem origem maligna. Paulo também revela que “a própria CRIAÇÃO SERÁ REDIMIDA do cativeiro da corrupção”, deixando implícito em sua comparação que, em determinado momento, haverá uma renovação da natureza, o que ocorrerá quando forem criados “novos céus e nova terra”.

Com isso, constatamos que a Palavra nos revela que haverá céus e Terra eternamente. Será que ela também revela quem estará onde? Vejamos, primeiro, se haverá alguém na terra:

Em um determinado momento da história, “a besta, os reis da terra e os seus exércitos [estarão] reunidos para guerrearem contra aquele que está montado no cavalo e contra o seu exército”. No plano físico, esta reunião é contra Jerusalém. Este é o momento da volta de Jesus e “de sua boca sai uma espada afiada, com a qual ferirá as nações. ‘Ele as governará com cetro de ferro’. Ele pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus todo-poderoso” (Ap 19).

Poderia-se pensar que esse ‘ferir as nações’ fosse o extermínio da vida humana na terra, porém o próprio texto demonstra que não será assim: “Ele as governará com cetro de ferro”. Se a vida humana fosse exterminada, não haveria necessidade de governo. Além disto, Zacarias diz que “os sobreviventes de todas as nações que atacaram Jerusalém subirão ano após ano para adorar o rei, o Senhor dos Exércitos, para celebrar a festa das Cabanas. Se algum dentre os povos da terra não subir a Jerusalém para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, não virá para ele a chuva” (cap. 14).

Para onde essas nações subirão todo ano? Para Jerusalém! E quem estará vivendo lá? Os judeus, a descendência física de Abraão, conforme a promessa de Deus: “te abençoarei e certamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e como a areia na praia do mar; a tua descendência possuirá a cidade dos seus inimigos, nela serão benditas todas as nações da terra” (Gn 22).

Talvez se pudesse espiritualizar essa descendência, mas veja o que diz Zacarias, sobre o mesmo momento histórico: “Naquele dia uma fonte jorrará para os descendentes de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para purificá-los do pecado e da impureza. ‘Naquele dia eliminarei DA TERRA DE ISRAEL os nomes dos ídolos, e nunca mais serão lembrados’, diz o Senhor dos Exércitos. ‘Removerei DA TERRA tanto os profetas como o espírito imundo. Na terra toda, dois terços serão ceifados e morrerão; todavia a terça parte permanecerá’, diz o Senhor. ‘Colocarei essa terça parte no fogo, e a refinarei como prata, e a purificarei como ouro. Ela invocará o meu nome, e eu lhe responderei. É o meu povo, direi; e ela dirá: ‘O Senhor é o meu Deus’" (Zc 13).

Mas como essas pessoas, com corpos corruptíveis, poderão viver eternamente na Terra? Ora, Adão e Eva foram expulsos do Paraíso, para que não tivessem acesso ao fruto da Árvore da Vida e, assim, vivessem eternamente na condição de pecadores. Mas, em um determinado momento após a volta de Jesus, essa Árvore da Vida entra em cena novamente: “Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da rua principal da cidade. De cada lado do rio estava A ÁRVORE DA VIDA, que dá doze colheitas, dando fruto todos os meses. As folhas da árvore SERVEM PARA A CURA DAS NAÇÕES”.

Essa cidade é a Nova Jerusalém, que desce do céu, onde está o trono de Deus e do Cordeiro. Esta “cidade não precisa de sol nem de lua para brilharem sobre ela, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua candeia. AS NAÇÕES andarão em sua luz, e os REIS DA TERRA LHE TRARÃO a sua glória”. Além disto, nesse momento, a morte já não existirá, pois terá sido lançada no lago de fogo e enxofre.

Finalmente, chegamos ao cerne da pergunta inicial: e os seguidores de Jesus, a Igreja, onde estarão? No céu, ou na Terra?

Paulo diz, a respeito da Igreja: “Eis que eu lhes digo um mistério: nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta. Pois a trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados” (1Co 15).

Aos tessalonicenses, ele já havia dito algo parecido: “Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e juntamente com ele, aqueles que nele dormiram. Dizemos a vocês, pela palavra do Senhor, que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor, certamente não precederemos os que dormem. Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim ESTAREMOS com o Senhor PARA SEMPRE” (cap. 4 de 1Ts).

Em Mateus 25 e em Lucas 19, nas parábolas dos talentos e das minas, respectivamente, Jesus deixa claro que haverá recompensas para seus servos fiéis e essa recompensa indica posição de destaque dentro do Reino eterno do Senhor. Ele também disse que o Seu desejo, para sua Igreja, é que onde Ele estiver, a Igreja também esteja (João 14).

Desta forma, a conclusão a que podemos chegar é a de que Jesus reinará na Terra e que a Igreja reinará com Ele, estará com Ele na Terra, mas com um corpo incorruptível, capaz de ter acesso às regiões celestiais, ao paraíso e a lugares nunca antes imaginados. Porém, nossa base de atuação estará centrada na Terra, com ocupações, atividades e missões grandiosas, assim como os anjos têm atualmente. Louvaremos, seremos juízes e embaixadores do Rei dos reis.

“Já não haverá maldição nenhuma. O trono de Deus e do Cordeiro estará na cidade, e os seus servos o servirão. Eles verão a sua face, e o seu nome estará em suas testas. Não haverá mais noite. Eles não precisarão de luz de candeia nem da luz do sol, pois o Senhor Deus os iluminará; E ELES REINARÃO PARA TODO O SEMPRE”.

15 comentários:

Cláudio Nunes Horácio disse...

Minha ignorância escatológica é grave kkkk, calvinistas praticamente não têm escatologia, pois Calvino dizia que o Apocalipse era muito pra sua cabeça, sendo assim, por eu ter estudado muitos anos as doutrinas calvinistas, não estou entendendo direito. Por exemplo: Nestas narrativas todas aí, aonde entra o milênio?
Muito obrigado meu amigo. Fica na paz de Jesus.

René disse...

Ôôô, meu amigão Cláudio! Seu estado é grave, mas não se preocupe: não vai precisar de UTI, por enquanto! rsrsrs

Como eu fiz questão de colocar, no começo do texto, eu não iria tocar na matéria "Escatologia Bíblica", por haver diversas opiniões divergentes, neste assunto.

O milênio, que você pergunta, tem 3 tipos de visão: pré-milenismo, que defende que haverá um milênio literal na Terra, com Jesus reinando literalmente sobre todas as nações, a partir de Jerusalém, depois do período de sete anos de tribulação mundial.

Tem o amilenismo, que defende que o milênio está se cumprindo de forma espiritual, ou seja, que Jesus já está reinando e que toda pessoa que se converte já é levada a Ele e passa a reinar com Ele, e que Satanás já está preso (limitação de poderes) até ser solto em um período final, onde Jesus vai lançá-lo no lago de fogo.

E tem o pós-milenismo, que defende que o milênio já se cumpriu e, agora, só falta a volta de Jesus para "terminar" todas as coisas.

Estas definições são muito por alto. Há uma série de detalhes em cada uma, que as complementa.

Eu, particularmente, tenho encontrado na Palavra muitos elementos que indicam o pré-milenismo, como sendo a doutrina mais correta.

Porém, o amilenismo, com sua espiritualização das escrituras, conforme o pensamento agostiniano, consegue encontrar seus argumentos.

A diferença entre as duas vertentes é esta: a literalização das escrituras (até o ponto em que esse literalismo não se torne incongruente com o contexto da profecia em questão), ou a espiritualização das escrituras, como ensinou Agostinho.

O pós-milenismo tem poucos e fracos argumentos que o sustentem.

Abração e Paz!

Rita disse...

Paz,
bom,muito bom esse assunto..eu sou péssima com isso..mas fico com o pré- milenismo também,acho que não acho muita coisa rsrsrs...enfim a igreja que sobe tem que descer...

Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre. Salmos 37:29
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; Mateus 5:5

Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz. Salmos 37:11

Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam no SENHOR herdarão a terra. Salmos 37:9

E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. Apocalipse 5:10

E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.
E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.Ap.21;1-5

Eu acho (rsrsr)que primeiro a igreja reina com Cristo por mil anos....depois herda a terra...
Que delicado...só sei que quero ir com meu amado Jesus,depois de estar lá,Aleluia, o resto é galardão né!!!
Paz!!

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, eu conheço as 3 correntes milenistas, os grandes teólogos presbiterianos são praticamente todos amilenistas. Não é as linhas de interpretação milenistas que queria saber, e sim como você entende o milênio, se literal ou simbólico. Você já respondeu. Para você teremos um milênio de paz na Terra, era isso que queria saber, eu tbm creio assim.
Queria que colocasse aqui aquele site que me indicou para eu estudar mais sobre escatologia. Acho muito importante pra todos. Obrigado. Paz e amor.

René disse...

Rita,

Vou dizer o quê? Você trouxe textos ótimos, que confirmam que a Igreja estará na Terra, reinando com Jesus!

Quanto a não achar muita coisa, isso é normal. Para se ter uma idéia melhor sobre o assunto, é necessário estudar toda a Palavra de Deus, fazer uma correlação entre diversas passagens e, ainda assim, creio que não podemos afirmar nada categoricamente, porque nenhum ser humano é dono da verdade.

Por isto eu disse que encontrei muitos textos que me levam a crer na idéia pré-milenista. Mas prefiro que cada um busque em Deus o entendimento para o assunto. Principalmente, porque esta é uma questão secundária, que não influi em nossa salvação. Sendo de uma forma, ou de outra, ou de outra, o que importa é que todo aquele que crê será salvo.

Gostei da sua opinião!

Abração e Paz!

René disse...

Cláudio,

Me desculpe por não ter entendido sua pergunta e, por isto, ter respondido citando as correntes milenistas.

Eu sei que os teólogos presbiterianos são, em sua maioria, amilenistas, afinal, Calvino, como cópia carbono de Agostinho, também tinha que espiritualizar as escrituras.

O site que considero coerente, por analisar detalhadamente todas as correntes milenistas e tribulacionais, é o Projeto Ômega (http://www.projetoomega.com/home.htm). É um site que se dedica com seriedade à escatologia bíblica.

Valeu pela sugestão!

Grande abraço e Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, nada a desculpar, lhe agradeço muito. Forte abraço.

Ednelson Rodrigo Sales Coelho disse...

René mano, paz!

Esse assunto eu gosto pra caramba!

Nos faz viajar para outro mundo...nos faz querer estar com Ele eternamente e nos faz contemplar sua sabedoria e poder.

Sobre o Projeto Ômega, tenho lido constantemente e vejo muito equilíbrio nele. Engraçado, eu era um ferrenho pré-tribulacionista, mas quando comecei a ler Profecias Bíblicas-Verdadeira,Clara,Atual do fundamentalista Dave Hunt, ao invés de solidificar a minha fé nessa corrente, me fez o contrário.

Hoje creio que nós passaremos pela tribulação. E este site me firmou ainda mais nesta tese. Também creio no pré-milenismo,mas também não descarto as outras possibilidade em ambos os casos.

Na verdade, em se tratando de escatologia, a melhor visão a ser adotada é a Eclética, buscando verdades em cada corrente teológica,rsrs.

Estes meus estudos tem sido de grande valia,pois tem fortalecimento a minha fé e tem mantido a chama acesa. Escatologia não é para nos deixar loucos, mas para, cada dia mais, vislumbrarmos que aquilo que Ele profetizou está se cumprindo e continuará a se cumprir. Desta forma, não seremos abatidos pelos liberais e nem pelas vãs filosofias que nos rodam afim de tragar nossa esperança.

Xi, desculpa pelo tratado que escrevi mano,rsrsrs.

Maranata, Ora vem Senhor Jesus!

René disse...

Grande Ed,

Você tem toda a razão! Este assunto nos faz viajar um bocado e, principalmente, fortalece nossa fé e mantém nossa chama acesa.

Pensar em estar eternamente ao lado de Jesus, reinando com Ele e O servindo, é um estímulo imensurável, para enfrentarmos a dureza de nosso dia a dia.

Também está certo ao afirmar que devemos buscar verdades em cada corrente teológica, afinal, a Palavra nos diz que devemos examinar tudo e reter o que é bom, ao mesmo tempo em que nos afastamos de toda forma de mal.

Quanto ao Dave Hunt, confesso que gosto muito do que ele escreve e prega. Inclusive, acompanho o site dele diariamente. Evidentemente, discordo dele na questão pré-tribulacional, mas não creio que isto seja motivo pra se descartar tudo que vem dele. Eu o vejo como um homem de Deus, verdadeiramente.

Iihh!!! Também fiz um tratado!! Se você me desculpar, eu também desculpo você!!! rsrsrs

Abração e que você e sua família continuem na Paz, meu amado amigo!

Ednelson Rodrigo Sales Coelho disse...

Mano, tá desculpado,rsrs.

Quando ao Dave Hunt, eu tbm o acompanho no Chamada da Meia Noite. Inclusive tenho vários livros dele. O que mais pega é a questão pré-trubulacionista mesmo. No mais, tem outras abordagens que também não entram, mas vejo sinceridade nele...só um pouco engando,rsrsrs.

Dia desses vou escrever minha opinião sobre o arrebatamento.

Abçs fraternos.

René disse...

Neste caso, Ed, você também tá desculpado!! rsrsrs

Vou aguardar ansioso, por sua opinião sobre o arrebatamento!

Grande abraço e continue na Paz!

Alan Capriles disse...

Parabéns por tocar neste tema, René. Após tantos comentários edificantes, compartilho minha visão escatológica.

Sempre tive dificuldade para imaginar Jesus governando politicamente, quase como um ditador, a partir de Jerusalém. Interpretar assim algumas profecias do AT é um erro semelhante aos que cometeram os contemporâneos de Jesus, que imaginaram que ele fosse libertá-los do jugo romano. Isso simplesmente não entra na minha cabeça.

Também não vejo sentido em haver mil anos de paz para depois o diabo ser solto novamente. Será que ele vai se aproveitar do indulto de Natal? rsrsrs

Quanto a grande tribulação, as profecias de Jesus são claras em afirmar que os eleitos passarão por este período. Em apocalpipse somos até instruídos em como identificar o anticristo. A história da igreja terminará como começou: com perseguição. Será um período necessário de depuração, onde somente verdadeiros convertidos se afirmarão cristãos.

Após a volta do Senhor não haverá segunda chance para quem não for arrebatado. Depois que a porta se fechar, não adiantará mais bater! Não é a toa que o filme "Deixados para Trás" esteja na seção de ficção, pois não passa disso mesmo.

Sendo assim, a corrente mais próxima ao meu entendimento escatológico é o amilenismo. Mas ser amilenista não é duvidar que herdaremos a terra, como a Rita parece ter sugerido. Após subirmos ao encontro do Senhor nos ares, voltaremos para reinar com ele na terra, após a restauração da mesma.

P.s.: Esta é minha visão escatológica. Não pretendo convencer ninguém disso. Graça e Paz pra todos!

René disse...

Meu amado Alan,

Vou transferir os parabéns pro Cláudio, que levantou a lebre. Apenas segui a sugestão dele.

Tenho certeza que você não quer convencer ninguém de sua visão escatológica, assim como eu também não quero convencer a ninguém da minha. Isto é uma questão que considero secundária, dentro do cristianismo, e que, de uma forma ou de outra, serve para alimentar a esperança de cada um de nós, não importando se será assim, ou assado.

Os contemporâneos de Jesus realmente erraram ao interpretar profecias sobre a libertação de Israel de todo e qualquer jugo, no que diz respeito ao tempo em que isto aconteceria. Pelo menos, foi esta a indicação de Jesus. Ele não os condenou por pensarem desta forma, no entanto os corrigiu quanto à época em que isto aconteceria.

Quanto a imaginar Jesus governando a partir de Jerusalém, já não tenho dificuldade nenhuma, principalmente, para demonstrar exatamente o oposto aos ditadores: com cetro de eqüidade e justiça!

Mil anos de paz, com Satanás sendo solto novamente, é também fácil de imaginar, quando se entende que ele sempre é usado como instrumento de Deus, para o cumprimento do propósito divino. Aqueles que, por sua soberba, ainda aceitarem o comando de Satanás, para se rebelarem contra Jesus, serão definitivamente eliminados, restando, apenas, os que optaram por se submeterem ao Rei dos reis. O "indulto" de Satanás seria para "peneirar" a sujeira.

Sendo desta forma, ou da forma que você entende, reinaremos com o Senhor.

Nem me fale em "Deixados Para Trás"!

Abração, meu amado amigo, e continue na Paz!

Alan Capriles disse...

Valeu, René!

Quando a gente não tenta impor nossa interpretação das Escrituras fica fácil darmos as mãos e continuarmos focados naquilo que realmente importa: Cristo em nós, a esperança da glória.

Quanto aos nossos diferentes "ismos" todos eles serão consumidos quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu, com os anjos do seu poder, como labareda de fogo. (2Ts 1:7)

É uma honra conhecer irmãos como você, o Cláudio, a Rô, entre outros, ainda que, por enquanto, seja apenas um "conhecer" virtual.

Um forte abraço, na paz do Senhor Jesus!

René disse...

Você está corretíssimo, Alan!

O que importa é continuarmos focados na esperança da glória, Cristo em nós!

E, graças a Deus, todos esses ismos serão consumidos e conheceremos a Verdade, como ela é!

Pra mim também é uma honra conhecer, ainda que virtualmente, pessoas como você, o Cláudio, a Rô, a Rita e outros, e compartilhar do que Cristo tem feito em nossas vidas.

Valeu por sua participação aqui!!

Paz e bem a você e sua família!