"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

domingo, 7 de novembro de 2010

Meu Novo Medo

Diz aí...
Como posso ter plena certeza de que não estou delicadamente saindo do Caminho sem perceber??
Meu novo medo momentâneo!!

Graça e Paz!

Resposta:

Então...

"Os passos do homem são dirigidos pelo SENHOR; como, pois, poderá o homem entender o seu caminho?" (Pv 20.24).

"Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé, porque o Senhor é poderoso para o suster" (Rm 14.4).

"Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas" (Hb 4.10).

"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou" (Jo 14.27).

"o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade" (Jo 16.13).

"o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós" (Jo 14.17).

Essas promessas já são, por si só, suficientes pra vc não temer.

Junte a isto estas certezas:

- não são nossas obras que nos mantêm no Caminho. Não é policiando cada passo que damos, que teremos a certeza de estar no Caminho. Nos auto-examinar constantemente não é o mesmo que policiar. É verificar se mantemos a fé na suficiência da obra de Jesus, para consumar todas as coisas (Ele disse: "Está consumado!"). Também é verificar se estamos buscando a nossa própria vontade, ou a vontade do Pai. Independentemente do resultado desse auto-exame, temos descanso, porque, se mantemos a fé e buscamos a vontade do Pai, não há o que temer, mas, se não mantemos a fé, ou não buscamos a vontade do Pai, temos Advogado junto ao Pai. E, mediante a defesa dEle, o Pai nos disciplina e transforma o mal em bem.

- Cometer erros não é o mesmo que sair do caminho. Todos nós cometemos erros e vamos continuar cometendo, até não estarmos mais neste corpo corruptível. Mas todo erro que cometemos é corrigido por Deus. Ele os permite, até mesmo para o nosso crescimento na Sua Graça. Se não errássemos, sendo soberbos como somos, rapidamente estaríamos fora da Graça de Deus, porque andaríamos na nossa própria força e sabedoria. Portanto, "em tudo dai graças", até mesmo quando errar e passar por conseqüências dos erros. É para o nosso bem e para a glória do Senhor. "Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós" (2Co 4.7).

Viver na Graça de Deus, descansar nEle, é ter a certeza de que o Seu Espírito nos ensina todas as coisas, nos orienta, nos chama a atenção, não nos deixa cair em tentação, nos livra do mal e muitas outras coisas, conforme a vontade do Senhor.

Descanse. Deixe a Graça do Senhor comandar a sua vida! Apenas preste atenção nisto: "somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas" (Ef 2.10), ou seja, quando alguma boa obra surgir no seu caminho, não se negue a ela, pois o próprio Senhor a preparou de antemão para que a cumpramos. Tais obras, normalmente, não têm nada a ver com ministérios em igreja, apesar de estes também serem usados por Ele para isso. O certo é que as Suas boas obras sempre têm algo a ver com o nosso próximo: rir com alguém, chorar com alguém, ler um livro para quem não pode ler, dar um copo de água para quem tem sede, emprestar os ouvidos para quem quer falar (desabafar), acompanhar alguém a algum lugar, lavar a louça para u'a mãe cansada, e tantas outras ''pequenas coisas'', que para Ele têm muita importância, porque Ele se importa com cada pequeno detalhe de nossas vidas.

Que a Paz do Senhor inunde o seu ser...
Abração,
René

16 comentários:

Cláudio Nunes Horácio disse...

Excelente explanação da graça de Deus na santificação e na perseverança dos cristãos. Forte abraço.

René disse...

Valeu, Cláudio! Abração e Paz!

Rita disse...

Olá,paz
Gostei dessas boas obras nas pequenas coisas,de fato somos muito mais úteis e amorosos em certos momentos de pequenos detalhes,que nem percebemos como servimos com amor, até mesmo um emprestar os ouvidos vale mais...muito mais que sair se vangloriando em grandes missões,porque nada podemos fazer para que outros vejam,mas tudo devemos fazer para que o Pai veja.

Perseverar é ter apenas fé,porque tudo que não é de fé é pecado, o medo nos faz errar mais, nos preocupar mais...e preocupação é falta de confiança no Pai.
Paz!!

René disse...

Pois é, Rita,

Muita gente não se apercebe do versículo que fala sobre as boas obras que Deus, de antemão, preparou para que o homem de bem ande nelas. São coisas que encontramos em nosso dia a dia e que estão ali para que a gente as realize.

Nem sempre vamos estar envolvidos em uma "missão grandiosa", além-mar, ou coisa do gênero. Esse é um ministério que todo cristão tem.

Grande abraço e continue na Paz!

marcelo disse...

otimo blog e material querido!!!

vamos trocar banners!? já te sigo!!!

http://prmarcello.blogspot.com/

disse...

Nos auto-examinar constantemente não é o mesmo que policiar.

sempre examino a minha vida, mas também gosto de me policiar, r rs, aliás se não me policiar já era a maninha aqui, rs rs desculpa. Adorei o texto. Muito bom. Paz!

René disse...

Marcelo,

Valeu pela visita e pelo comentário.

Já, já, faço uma visita ao seu blog e me comunico com você, ok?

Grande abraço e continue na Paz!

René disse...

Rô, minha amada,

Essa questão de se policiar é um pouco mais complexa do que se possa exprimir em poucas palavras.

Com essa pessoa, pude me expressar dessa forma por já termos conversado muito sobre diversos assuntos bíblicos. Mas, em resumo, seria isto:

O auto-exame que somos exortados a fazermos sempre, todos os dias, é com relação à nossa fé, à nossa confiança de que o Senhor está no controle de todas as coisas, ainda que as circunstâncias não demonstrem isto.

Já o policiamento, que eu citei, trata do legalismo, do tipo: será que eu posso fazer isto? Será que eu posso tocar naquilo? Será que eu posso ir ali? Será que fazendo uma dessas coisas, eu vou perder minha salvação? É desse tipo de policiamento que eu creio, todos nós devemos nos afastar. Porque eu creio que o Espírito Santo fala a todo instante conosco, indicando o caminho a seguir.

Quando você diz "se não me policiar já era a maninha aqui", imagino que você fale de determinados momentos, em que você precisa parar pra pensar naquilo que está diante de você. É nestes momentos que eu creio que o Espírito Santo fala conosco, nos mostrando o caminho certo, a atitude certa a tomar. Neste caso, você não parou pra se policiar, mas para ouvir o Espírito.

E não há o que desculpar! Gosto quando você brinca, principalmente, quando você, nessa brincadeira, expõe um pouco mais de si mesma. Aliás, gosto quando qualquer pessoa faz isto.

Continue na Paz!

disse...

Eu tenho que me policiar o tempo todo justmente para que eu não venha ter que me examinar depois entendeu? quem se policia dificilmente se avalia, pois sempre pensa antes de agir. Paz!

René disse...

Entendi, Rô,

Você considera o "se policiar" como avaliar as coisas, raciocinar, antes de agir. Isto está correto!

O "se policiar" a que eu me refiro é as pessoas pegarem a lei em uma das mãos e ir conferindo: "isto, eu não posso! Isto, eu não devo! Por aí, eu não vou!", pelo simples cumprimento da lei com a intenção de parecer ser santo! Isto não é correto, porque, ao final do dia, quem fez isso vai dizer: "Não matei, não roubei, não adulterei, não cobicei, portanto Deus não tem motivos pra não me levar pro céu!". Isto é legalismo, é lei de causa e efeito para herdar a vida eterna.

Quando você pára pra analisar as coisas, raciocinar, você está permitindo que o Espírito Santo fale pra você em que direção você deve ir. Assim, no final do dia você vai se auto-examinar e vai poder dizer: "Andei em fé, pois ouvi o Espírito e confio que segui na direção que Ele indicou!". Com isto, você não vai precisar fazer uma avaliação dos erros que, porventura, tenha cometido, porque, se erramos pensando que estamos seguindo o Espírito, o Senhor nos disciplinará, pois Ele conhece a sinceridade do nosso coração.

Continue na Paz!

Rodrigo Passos disse...

gostei é a nossa luta, como cristão!

René disse...

Amado Rodrigo,

Me alegro que você tenha gostado e, mais ainda, que você tenha reconhecido que essa é a nossa luta diária, como cristãos! É o Espírito de Cristo que nos faz reconhecer isto!

Abraço e continue na Paz!

Anselmo Melo disse...

Muito bom ter conhecido o irmão e seu espaço aqui. Caso queira trocar banner de divulgação me da um toque. Um grande abraço e que Deus abençoe sua vida ricamente.Paz!!!

René disse...

Amado Anselmo,

Devo dizer que foi um grande prazer conhecê-lo, através de sua entrevista no blog da Rô!

Me antecipei e já publiquei seus banners aqui, assim como links para seus blogs.

Que o Senhor também o abençoe grandemente, assim como ao seu ministério! Abração!

Alan Capriles disse...

Amado René,
Parabéns pelo artigo! Tanto sua resposta quanto a pergunta foram muito interessantes.

Gostei também da pergunta pela maneira como foi abordado este problema: "...estou delicadamente saindo do Caminho sem perceber?" Chamo atenção para o "delicadamente" e o "sem perceber". Porque é assim mesmo, de forma muito sutil, que podemos deixar a chama do primeiro amor se esfriar.

No domingo passado, noite da ceia do Senhor em nossa igreja, preguei em João 15, chamando atenção para este fato: se Jesus chama a si mesmo de "Videira verdadeira" é porque existe uma ou mais "videiras falsas". E como saber se estamos na verdadeira? A falsa, obviamente, é a da vã religiosidade.

A resposta está no próprio texto de João 15:1-5. Quem está ligado em Cristo:

1º) É constantemente podado pelo Pai (abandona hábitos negativos e prejudiciais ao relacionamento com Cristo)

2º) Frutifica (é tranformado em nova criatura, adquirindo hábitos que glorificam a Deus, fazendo o bem)

3º) Dá mais fruto ainda (hoje está mais parecido com Cristo que ontem, e amanhã estará mais parecido ainda do que hoje, especialmente no amor a Deus e ao próximo)

Conclusão: Quem está neste processo, certamente tem levado uma vida de oração e meditação na palavra de Deus, pois ama o Senhor, está ligado na Videira verdadeira, que é Jesus, e não na falsa videira de uma vã religiosidade.

Vejo que acabo de compartilhar meu esboço! rsrsr

Um forte abraço!!!

René disse...

Meu amado amigo Alan,

Você foi no cerne da questão: a sutileza dos acontecimentos! E também foi preciso na solução: o auto-exame! Este nos leva a saber se estamos na fé em Cristo. Se estivermos, a transformação de vida estará acontecendo, dia a dia, operado pelo nosso Pai Celestial!

Se o esboço já foi assim, imagino a bênção que foi a Palavra que o Senhor entregou a Seu rebanho, através de você!!!

Abração e continue na Paz do Senhor!