"Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente, ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus."
PENSE NISTO: "O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego!" (Albert Einstein).

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Hebreus 5 e o Getsêmani

- por René Burkhardt | 14 de Janeiro de 2011

O capítulo 5 de Hebreus, nos seus versículos de 1 a 10, descreve como alguém se torna um sumo sacerdote e, principalmente, demonstra o porquê de Jesus ter sido nomeado, por Deus, sumo sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque.

Nesta explicação, o Espírito de Cristo diz, através do autor da epístola, que o sumo sacerdote “é capaz de CONDOER-SE dos ignorantes e dos que erram” (v.2). Como conseqüência disto, ele “DEVE oferecer sacrifícios pelos pecados” (v.3).

Mais adiante, nos é dito que “Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque” (vs.7-10).

Ora, estas palavras são uma clara referência ao sacrifício de Si mesmo, feito por Jesus, mas abrangendo toda a cena, desde Sua oração no Getsêmani, feita pouco antes de Sua prisão, até a própria crucificação.

Ali no jardim, vemos que, antes de orar pedindo ao Pai que afastasse aquele cálice dEle, Jesus disse: “A minha alma está profundamente triste até à morte” (Mt 26.38; Mc 14.34). Ora, podemos perceber que Jesus se refere à “morte” de forma metafórica, para nos dar uma dimensão do tamanho da tristeza que o acometia, afinal, Ele sabia que morreria na cruz, não de tristeza, ou por outro motivo, antes dela. O Espírito de Cristo diz, através de João, que Jesus sabia de “todas as coisas que sobre ele haviam de vir” (Jo 18.4), tendo esta palavra sido dita exatamente no momento que precedeu Sua prisão, ou seja, quando o Senhor estava no Getsêmani. E o autor de Hebreus, agora, nos diz que a dor e a tristeza pelos pecadores é algo inerente ao sumo sacerdote.

Então, podemos concluir que essa tristeza profunda até à morte, mencionada por Jesus, é conseqüência de Sua capacidade de condoer-se pelos pecadores e que ela precede, necessariamente, o sacrifício pelos pecados (cfe. Hb 5.2-3). É claro que tal tristeza é imensurável, podendo ser dito que seria capaz de levar à morte, uma vez que Jesus estava por oferecer o sacrifício definitivo, por todos os pecadores de todos os tempos. Mas Jesus sabia que não morreria de tristeza e, portanto, o cálice ao qual Ele Se referiu em Sua oração, é o cálice dessa dor indescritível, uma dor insuportável para qualquer ser humano. E Jesus era 100% homem, apesar de ser, ainda, o corpo humano no qual a plenitude de Deus habitava.

Desta forma, quando o autor de Hebreus diz que a oração de Jesus no Getsêmani foi ouvida, no sentido de ter sido atendida, por Aquele que tem o poder de livrar da morte, ele está se referindo à morte mencionada por Jesus, ou seja, à metafórica morte que dimensionava a Sua profunda dor! E os relatos desse Seu momento no Getsêmani também nos dão conta disto, ao mostrarem que, após ter orado pela terceira vez, com tamanha tristeza que provocou sangramento através de Seu suor, Ele Se levantou, chamou Seus discípulos e seguiu em direção ao sacrifício que estava proposto, ao invés de continuar prostrado no chão, sobre Seu rosto, indefinidamente triste! Sua profunda tristeza foi dissipada por conta de Sua obediência ao Pai, que foi evidenciada em meio a todo esse sofrimento, quando Ele disse em Sua oração que, apesar da dor extrema, Ele preferia que a vontade do Pai fosse feita através dEle, para que Seus propósitos se cumprissem!

É claro que Deus pode livrar da morte física a quem Ele quiser, mas, neste caso específico, a morte na cruz era exatamente o objetivo de Deus, através de Jesus. E esta, na cruz, era a única morte à qual Ele estava sujeito! Tudo isso fez parte de Seu aperfeiçoamento, para que Ele se tornasse “o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem”!

32 comentários:

Wendel Bernardes disse...

Faz menos de uma semana René, que lí uma postagem do Cláudio, com um tema muito semelhante a esse. Fiz um comentário lá no Susto e eu o convidei a ler uma postegm semelhante sobre esse mesmo tema no meu blog também.

Acho que essas "Jesuscidências" acabam por fortalecer algo que Cristo, por meio de Seu Espírito, quer desenvolver em nós!

Eu creio mais ou menos assim:
Jesus foi alguém plenamente côncio de Seu futuro sacrifício. Optou por fazer a vontade do Pai, então logo cremos que dizer; Afasta de mim esse cálice, seria quase que uma aberração quanto à personalidade madura e firme de Jesus.


Ora, Ele era o Cordeiro de Deus, nascido para morrer pelos homens comuns.
Diferente Dele, Isaque, o cordeiro de seu pai, não sabia que iria ser imolado, tanto que disse: Meu pai, vejo a lenha, o cutelo, o fogo, mas onde está o cordeiro para ser imolado?

Jesus era alguém revelado de Sua carreira e positivo para cumpri-la!

Creio que a frase: Afasta de mim esse cálice, refere-se a angústia que sentia naquele momento de peso de morte. Afinal ninguém pode sangrar pelos poros e formar, como relata Lucas, grandes gotas de sangue que íam até o chão, se não estiver tomado por idescritível agonia.

Creio que Ele clamava para que o Pai afastesse dele ESSA agonia. A agonia da morte não vicária, não sacrificiosa.
O cláudio crê parecido.

Seu texto é mesmo muito edificante, Jesus nunca se portaria mesmo como um inconsequente bipolar, que não sabia de onde vinha ou para onde iria.

Seu 'destino' estava traçado, por ninguém menos de que Seu prórpio Pai.

Abração meu amigo!

René disse...

Pois é, Wendel,

Esta postagem é exatamente em conseqüência da postagem do Cláudio.

Como demonstrei neste texto, não creio que Jesus tenha chegado ao ponto de temer uma morte por efeito de uma doença psicossomática e pedir ao Pai o livramento disto. Por isto, mencionei que tal oração teria sido para o livramento da morte metafórica, que dimensionava a tristeza que Ele sentia. E disto Ele foi liberto.

Grande abraço e Paz!

Elton Morais disse...

Meu querido René, Paz do Senhor!

Excelente tua postagem.

"Então, podemos concluir que essa tristeza profunda até à morte, mencionada por Jesus, é consequência de Sua capacidade de condoer-se pelos pecadores [...]"

Creio que Jesus pensou em todos nós quando ele estava no Getsêmani.

Jesus continue te abençoando!

Elton Morais

René disse...

Amado Elton,

Certamente Jesus pensou em todos nós, naquele momento!

Estou devendo uma visita com mais tempo ao seu blog. Vou ver se consigo hoje!

Grande abraço e continue na Paz!

CARLOS HERRERA disse...

Renê,

Hoje, pela manhã, Comi uma macarronada maravilhosa(seu post de ontem que li hoje), e agora pela tarde vc me vem com uma feijoada!..Desse jeito vou engorda na graça e no conhecimento rsss

O lindo é que Cristo, ele é segundo a ordem sacerdotal de melquisedeque...uma ordem de sacerdotes ao Deus vivo que é anterior a qualquer outro sacerdocio, seja pagão ou judaico.

Sacerdocio superior, que nasce da espontaneidade do coração adorador..sem ritos programados,sem cerimoniais extravagantes ...

O que mais me chama a atenção é que Jesus, além de sacerdote, ele é o proprio sacrificio elementar e necessario...

Oferece o sacrificio como sacerdote, mas ele também se auto-oferece como "cordeiro de Deus imolado deste a fundação do mundo"

Sacrificio único, perfeito e definitivel !

belissimo texto

abraço amigo..

René disse...

Herrera,

Fiquei com água na boca, aqui, por conta da macarronada e da feijoada!!! Aí, eu vi que é alimento espiritual!!! rssssss Sou meio lesado, mesmo!!

Bem lembrado, Herrera! Ele é o sacrifício perfeito, além de ser o sacerdote que imola o sacrifício! E o autor de Hebreus diz que Ele sofreu como sumo sacerdote, que se condoeu pelos pecadores, para seguir adiante no plano de ser também o sacrifício!

Este é o nosso Deus: Autor e Consumador da nossa fé!!!

Grande abraço e continue na Paz, meu amigão!

CARLOS HERRERA disse...

Renê,

O texto ganha dimensão esclarecedora a muitos leitores, quando vc destaca que Cristo," tinha a capacidade condoer-se pelos pecadores e que ela precede, necessariamente, o sacrifício pelos pecados " seja dos eleitos(calvinistas) seja da humanidade (arminianos)..

Ele tanto no getsemani quanto na cruz ele estava consciente de sua missão e jamais voltaria atras...chorando lagrimas de sangue ou não ele cumpriria a sua missão de morrer na cruz.

René disse...

Então, Herrera,

Esse destaque é necessário! Muitos têm falado sobre a dor que sentem pelos perdidos, mas, na verdade, não dá pra mensurar a dor que Jesus sentiu pelos perdidos, porque Ele via a todas as pessoas de todos os tempos. Por isto Ele descreveu essa dor como algo que poderia levar à morte. E sentir essa dor pelos perdidos é inerente ao sumo sacerdote, como diz em Hebreus.

Está tudo escrito na Palavra, pra quem quer que seja!

Valeu por chamar a atenção para este detalhe!

Abração e Paz!

CARLOS HERRERA disse...

rsss
me incluo, quando digo...texto esclarecedor a muitos leitores..

pois, nunca olhei nessa perspectiva!

abração

René disse...

Também tô nessa, Herrera! Esta ficha só caiu há alguns dias, lendo uma postagem ótima lá no Cláudio e meditando sobre a Palavra!

Antes disto, eu nem fazia idéia do que se tratava tudo isso!!!

Seguimos abraçados ao que o Senhor nos revela através de Sua Palavra!!

CARLOS HERRERA disse...

De maneira quando comentamos os posts...indiretamente trocamos percepções...e nessa troca reavaliamos nosso entendimento espiritual...

abraço, amigo, bom fim de semana!

René disse...

Exatamente isso, Herrera!! E, assim, somos edificados no Senhor!!

Abração, meu querido, e bom findi pra você também!! Paz!

Rita disse...

Paz meu amigo irmão,
Interessante essa visão do cálice,eu não pensava nisso,não com essa compreensão tão aprofundada.
Ja tinha visto uma pregação do Paul Walsher que diz que a ira de Deus estava no cálice,todo ódio justo do santo Deus estava lá,tinha que beber todo ele sem derramar uma única gota,e isso se deu quando disse está consumado.
Realmente ele não pedia que afastasse a cruz ele sabia que havia de morrer nela ,mas como homem ,na carne existem limitações para suportar dor e angústia,logo precisaria mesmo orar ao Pai que lhe garantisse forças para chegar a cruz e consumar todas as coisas,não seria fácil beber o cálice...Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo...

...o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.

...todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar;

.. porquanto derramou a sua alma na morte Isaías 53:6-10-12

Vivendo e aprendendo,graças a Deus nosso Senhor é possível saber os mistérios que só o Espírito Santo nos revela, e o mais belo,ta tudo escrito!!!!

Paz,Paz!!

René disse...

Rita, minha irmãzinha amada,

Como você disse, o mais belo é que tá tudo escrito! É só buscar a compreensão que o Espírito Santo dá a todos, como está escrito: "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida" (Tg 1.5).

Forte abraço e muita Paz!!

Regina Farias disse...

Só psso repetir as palavras do J.C. ao dizer do quanto somos abençoados por conhecer boa parte do Corpo de Cristo aqui no mundo virtual...

Wendel Bernardes disse...

Amado Apóstolo René,
creio que essa é mais uma das possibilidades sobre esse tema, tão rico, que a Teologia teima em finalizar.

Não tenho nenhuma base para dizer que não creio, aliás, como diz uma amigo meu, à respeito de coisas que não nos foram (plenamente) reveladas, devemos manter olhos abertos para mais possibilidades, afinal, com um Deus tão infinito, não se pode sequer, comensurar seus feitos e os pormenores de Sua vida!

Quem sabe um dia, terei também, como nosso amigo Cláudio, uma postagem que te inspire a fazer uma colocação com seu ponto de vista, pra mim seria uma honra.

Mas vejo que por enquanto, se ela não nasceu, é porque concordamos em muito mais do que discordamos.

Grande abraço meu amigo!

P.S.
Já foi lá no blog Café com Leite Crente, por esses dias? Pois é, parece ter novidade pra nós por lá, heim!

Vixxi!

René disse...

Rê,

Então, agora, além de concordar com o JC, concordo com você também! O Senhor tem me abençoado pra caramba, permitindo que eu conheça e desfrute da amizade de Seus membros, através da blogosfera!

Valeu, bispa!!!

Abração e continue na Paz!

René disse...

Meu querido Wendel,

Fico feliz que você entendeu que não esgotei o assunto, nem tinha esta intenção, com este texto. Apenas emiti minha opinião, baseada no que se passa em meu coração. Como bem disse o nosso irmão Herrera, "trocamos percepções...e nessa troca reavaliamos nosso entendimento espiritual".

Quanto à inspiração através de textos, acho que você definiu bem a situação: por enquanto, até onde a gente sabe, concordamos em muito mais do que discordamos, apesar de também ser esta a minha situação com o Cláudio. Como eu disse em outro comentário, eu nem pensava neste assunto, antes de ler o texto do Cláudio. Ao ler, tive que bater um papo com Deus, pra chegar a algum entendimento. Expus o que penso que recebi.

Vou lá no Café, agora, dar uma conferida!

Forte abraço, paipóstolo, e muita Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, seu discernimento sobre este texto é muito bom, lógico, sensato, interessante e consolador. Na verdade me deparei a primeira vez com a perspectiva de Jesus JAMAIS ter temido a morte na cruz, numa aula do Caio Fábio, nos vídeos "O Caminho do discípulo" (http://vimeo.com/channels/discipulo#12425253), onde ele ensina justamente o que postei lá no blog, com o título "Que cálice é esse".
Então o ensino do Caio ficou sendo o ensino "oficial" do Caminho sobre esta questão. Pensei um ano nisso, mas não me pus em oração sobre isso, por achar que o significado do cálice não é importante, mas tão somente saber que Jesus Não orou para Se livrar da cruz. Também descobri que a hermenêutica tradicional interpretou corretamente que o cálice era a cruz DE ACORDO COM SUAS REGRAS, pois há textos tipo Mc 10.38 que na hermenêutica tradicional é óbvio por suas regras que para estes o cálice era a cruz.
Daí a importância de por Jesus e Sua vida, Seu modo de viver e agir como luz, a "arte de Hermes" não serve para interpretar a Palavra de Deus. Forte abraço, na graça, no amor e na paz de Jesus.

René disse...

Pois é, Cláudio,

O que é realmente importante, como você tem salientado muito bem, é sabermos que Jesus não orou pra Se livrar da Cruz.

Eu nem citei Marcos 10.38, em meu texto, por achar que, ali, está mais do que claro que o cálice se refere à dor profunda (cfe.Hb 5.2) e o batismo se refere à morte. É mais completo que a passagem paralela em Mateus.

Não insisti em levantar essas questões nos comentários de sua postagem, para não criar um 'fórum de discussões' sem fim, que poderia, até mesmo, perverter alguns leitores. Sei que você prefere assim, como eu também.

E aproveito pra agradecer a você, por ter publicado aquele texto, pois, sem ele, acho que eu nem teria alguma opinião sobre o assunto.

Grande abraço, meu amigão, e continue na Paz!

Wendel Bernardes disse...

Na verdade penso assim apóstolo, pois sei que dadas as profundidades das escrituras, nenhum de nós, por mais sábios, revelados e estudiosos da Graça e da letra que fôssemos, não poderíamos esgotar qualquer assunto numa postagem sequer. Na verdade nem em mil, pois esta Palavra se renova diariamente!

Abração, porque Gavinhas é coisa de pastor João! (rssr)

Paz!

Wendel Bernardes disse...

Paipóstolo?
mosquei e já inventarm coisa nova?

Papagaios!

René disse...

Paipóstolo Wendel (porque na blogosfera não pode moscar mesmo!),

Pra variar (é ironia, tá?), você está correto de novo. Não tem como a gente esgotar nenhum assunto da Palavra!

Bom, quanto ao nobre português Gavinhas, tenho impedimentos contratuais que me proíbem de fazer alguma referência, ainda que não fosse coisa do Pastô!

Paz e um amplexão!

Wendel Bernardes disse...

Moscar na blogosfera é o mesmo que orar sem vigiar, não?
kkkkkkkkkk

Agora Paipóstolo é meio coisa de Igreja Neopentecostal de Direita Capitalista né não?

Gosto muito de nossas abobrinhas (que segundo nossa líder Bispa Rê, faz bem pois abaixa o colesterol!)

René disse...

Pois é Wendel! Essas abobrinhas todas ainda ajudam na nossa saúde!!! Mas acho que isto é unção de cura da bispa. Depois da unção da ervilha, chegamos à unção da abobrinha!!! kkkkkk Tá ficando bom o negócio na IBL, que não tem nada a ver com Lagoinha!!!

Agora, desse palavrão político que você falou aí, não entendo nada!!! rssss Sempre vivi fora das estruturas institucionais religiosas. Só sei que é paipóstolo. Se é mei de esquerda, mei de direita, mei mei (ai), não sei!

Wendel Bernardes disse...

Se essa m&rd@ for 'mei mei' tô fora!
Corro disso igual um certo gaúcho foge da unção pastoral...


rsrsrsrsrsr

René disse...

kkkkkkk Passa longe, não? kkkk Também tô fora, mermão!!! rsssss

disse...

E esta, na cruz, era a única morte à qual Ele estava sujeito!

Por isso ele não orou para que Deus o livrasse da cruz, pois ele veio para isso,e ele também não morreria antes nunca. Achei muito bom seu entendimento René. Paz!

disse...

Para mim, ele clamou para que o pai o livrasse da angustia, e não da morte antes da cruz, ele nunca morreria antes de passar pela cruz. Paz!

René disse...

Rô,

Isto significa que, neste assunto, temos o mesmo entendimento! E acho que é isto mesmo que a Palavra, no seu todo, demonstra pra nós.

Valeu por deixar sua preciosa opinião, amada amiga!

Forte abraço e continue na Paz!

Anônimo disse...

Eu creio q o maior sofrimento de Jesus não era o que ele ia passar na carne, tanto pq primeiro ele sabia o q tinha q ser feito e segundo q ele aguentava aquilo, pois ele n podia morrer...na verdade ele entregou seu espirito ao pai, ele entregou por livre e espontanea vontade lucas 23:46....mas enfim...o maior sofrimento dele era o afastamento do pai, Jesus estava com Deus antes da criação do mundo e nunca houve a separação, mas ele sabia q ali na cruz o pai se afastaria dele por conta do pecado da humanidade que ele iria carregar no corpo. Por isso tamanha foi a agonia dele...e fica mais uma coisa aqui para ajudar vcs...Jesus não suou sangue...Lucas 22:44 E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou "COMO" gotas de sangue caindo sobre a terra. ...era "COMO" gotas de sangue. Para explicar como era o suor dele Lucas usou o sangue, o suor dele se assemelhava ao sangue, mas não era sangue q ele estava suando.

René disse...

É uma boa perspectiva, Anônimo!

Quanto ao suor como sangue, estamos cientes disso. Comentamos usando direto a palavra "sangue" por "economia" de escrita mesmo, deixando o "como" subentendido. Mesmo assim, agradeço a observação, muito importante para aqueles que não têm muito conhecimento da Palavra.

Abração e continue na Paz!